Mundo

Seul fecha mais de 2.100 bares após novos casos de covid-19

Dezenas de infecções pelo vírus foram associadas a pessoas que saíram no fim de semana passado, quando o país relaxou o distanciamento social

Seul: 18 novos casos foram relatados nas 24 horas até a meia-noite de sexta (SeongJoon Cho/Bloomberg/Getty Images)

Seul: 18 novos casos foram relatados nas 24 horas até a meia-noite de sexta (SeongJoon Cho/Bloomberg/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 9 de maio de 2020 às 16h06.

Seul, a capital da Coreia do Sul, fechou mais de 2.100 casas noturnas e bares depois que dezenas de infecções por covid-19 foram associadas a frequentadores de clubes que saíram de casa no fim de semana passado, quando o país relaxou as orientações de distanciamento social.

As medidas impostas pelo prefeito Park Won-soon no sábado foram tomadas depois que o governo nacional pediu aos locais de entretenimento em todo o país para fechar ou impor medidas para conter a propagação do vírus, como distanciamento, medição de temperatura, manutenção de listas de clientes e a exigência de uso de máscaras pelos funcionários. Park disse que a proibição de entrada nos locais serão mantidas até a cidade concluir que os riscos de infecção foram reduzidos significativamente.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia do Sul disse anteriormente que 18 novos casos foram relatados nas 24 horas até a meia-noite de sexta-feira - todos, exceto um deles, ligados a um homem de 29 anos que visitou três clubes no distrito de Itaewon, em Seul, no sábado passado antes de testar positivo na terça-feira. Park disse, porém, que outros 16 casos foram confirmados somente em Seul desde então.

Acompanhe tudo sobre:Coreia do SulCoronavírusSeul

Mais de Mundo

Rússia precisa entender o que Zelensky quer dizer com 'cúpula da paz', diz porta-voz Kremlin

Lula se reúne com embaixador do Brasil na Argentina para 'repassar' relação bilateral

Dois dias após atentado, Trump faz primeira aparição pública na Convenção Republicana

Biden ordena fornecimento de aparato de segurança para Kennedy Jr. e reforço para o de Trump

Mais na Exame