Série de atentados no Iraque deixa ao menos 24 mortos

Incidentes ocorreram apesar das estritas medidas de segurança impostas em Bagdá e em outras cidades iraquianas antes da cúpula de chefes de Estado e de governo árabes

Bagdá - Pelo menos 24 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas nesta quarta-feira em uma série de atentados em várias cidades iraquianas, entre elas Bagdá, Kirkuk (norte) e Karbala (sul), informaram fontes policiais à Agência Efe.

O atentado mais mortífero aconteceu em Kirkuk, 200 quilômetros ao norte da capital, onde pelo menos 11 pessoas perderam a vida, entre elas dez policiais, e outras 30 ficaram feridas pela explosão de dois veículos carregados com explosivos.

Outro dos atentados ocorreu próximo à sede do Ministério das Relações Exteriores, em pleno centro de Bagdá, onde pelo menos seis pessoas sofreram ferimentos pela detonação de um carro-bomba.

A fonte acrescentou que pelo menos cinco civis pereceram e outros 28 ficaram feridos após a explosão de outro carro-bomba conduzido por um terrorista suicida na zona de Al Allawi, no centro da capital.

Além disso, dois veículos explodiram de forma consecutiva em Karbala, 110 quilômetros ao sul de Bagdá, nas proximidades de uma delegacia, o que deixou dois mortos e 28 feridos.

Na província de Babel, um suicida a bordo de um carro com carga explosiva o detonou no centro de Al Hilla, 100 quilômetros ao sul da capital, em um ataque que deixou duas vítimas fatais e 30 feridos.

Além disso, houve três explosões de carros-bomba contra diferentes alvos na província de Salah ad-Din, ao norte da capital, onde sofreram ferimentos 12 pessoas, entre elas vários agentes da ordem e oito professoras.

Na cidade de Ramadi, capital da província ocidental de Al-Anbar, foram registrados três atentados, um deles contra o governador da província - que saiu ileso -, com o saldo de quatro mortos, sendo três deles membros da mesma família.

Esta série de atentados ocorreu apesar das estritas medidas de segurança impostas em Bagdá e em outras cidades iraquianas antes da cúpula de chefes de Estado e de governo árabes que será realizada no próximo dia 29 na capital.

O Iraque vive uma alta da violência desde a retirada das tropas americanas, em 18 de dezembro passado, e a emissão, um dia depois, de uma ordem de detenção contra o vice-presidente sunita, Tareq al-Hashemi, por supostos delitos de terrorismo.

Essa ordem de detenção desencadeou uma profunda crise política, agravada pelos vários atentados perpetrados contra alvos xiitas e corpos de segurança.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.