Sem cinemas ou McDonald’s: Grã-Bretanha fecha para funeral real

As escolas serão fechadas, mas as empresas foram deixadas para decidir se devem ou não permanecer abertas;
McDonald's: Grã-Bretanha fecha estabelecimentos para funeral real; empresas decidem o que fazer (Giannis Alexopoulos/NurPhoto/Getty Images)
McDonald's: Grã-Bretanha fecha estabelecimentos para funeral real; empresas decidem o que fazer (Giannis Alexopoulos/NurPhoto/Getty Images)
J
Julian Harris (Bloomberg)Publicado em 16/09/2022 às 16:28.

Sem escola, sem McDonald’s, sem filmes. Apesar do clima sombrio na Grã-Bretanha após a morte de Rainha Elizabeth II, a decisão de fechar grande parte da economia no dia de seu funeral atraíram críticas, zombaria online e, em alguns casos, confusão generalizada.

Receba as notícias mais relevantes do Brasil e do mundo toda manhã no seu e-mail. Cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

O governo do Reino Unido anunciou no fim de semana passado que a segunda-feira será um feriado nacional para “permitir que indivíduos, empresas e outras organizações prestem seus respeitos” à rainha.

As escolas serão fechadas, mas as empresas foram deixadas para decidir se devem ou não permanecer abertas – embora os empregadores sejam “encorajados a responder com sensibilidade” aos pedidos de seus funcionários para tirar folga do trabalho.

LEIA TAMBÉM: Reino Unido mantém lojas fechadas e pubs abertos para o funeral de Elizabeth II

A orientação apresentou um dilema para empresas como lojas, restaurantes, pubs e hotéis. Se fechassem para dar folga aos funcionários, corriam o risco de serem acusados de negar serviços básicos ao público. Permanecer aberto, no entanto, exigiria pessoal - algo ainda mais complicado diante da expectativa de que os funcionários não deveriam ser obrigados a trabalhar caso desejem lamentar ou prestar seus respeitos à rainha.

Algumas empresas relutaram com o dilema e acabaram enfurecendo os clientes e sofreram uma onda de publicidade negativa. O Centre Parcs UK Group, que opera cinco resorts no Reino Unido, disse que fecharia na segunda-feira, o que significa que as famílias teriam que interromper suas folgas e viajar para casa ou encontrar um hotel diferente.

Após uma reação pública, o Center Parcs decidiu permitir que os visitantes ficassem, mas disse que eles teriam que permanecer em seus quartos - provocando outro clamor, até esclarecer que os clientes poderiam passear pelos parques e vilas de férias. As instalações estarão fechadas.

LEIA TAMBÉM:

Conselho é parar, respirar e se acalmar

“Você precisa equilibrar as necessidades da equipe, as necessidades dos clientes e a percepção do público”, diz Simon Neville, diretor de estratégia de mídia da empresa de comunicação SEC Newgate. Após a morte da rainha, Neville diz que as empresas foram aconselhadas a “parar, respirar, se acalmar e pensar sobre as coisas. E parece que o Center Parcs não pensou.”

Muitos pubs permanecerão abertos, mas a maioria das lojas decidiu fechar, exceto as filiais no centro de Londres, onde são esperadas grandes multidões. Muitas pessoas reunidas na capital viajarão de outras partes da Grã-Bretanha, levantando dúvidas se a infraestrutura de transporte será capaz de lidar com isso. As autoridades de Londres aconselharam as empresas a permanecerem abertas, principalmente restaurantes e bares.

A extensão da paralisação em todo o país é considerável e economistas esperam um impacto mais acentuado do Produto Interno Bruto do que o habitual.

“Feriados bancários extras, no passado, tenderam a reduzir o crescimento do PIB mensal entre meio e um ponto percentual”, disse Paul Dales na Capital Economics. “Como este é incomum, com talvez mais eventos e atividades sendo cancelados ou adiados, a queda pode ser a maior desse intervalo.”

O McDonald’s fechará todas as suas filiais até pelo menos 17h, enquanto a rede de cinemas Vue disse que suas telas, na segunda-feira, exibirão apenas o funeral. Os consultórios médicos locais serão fechados e muitas consultas hospitalares adiadas, levando a reclamações dos pacientes. A British Cycling aconselhou as pessoas a não andarem de bicicleta durante as horas do funeral, antes de mudar de rumo depois de ser ridicularizada nas mídias sociais.

LEIA TAMBÉM: