Romney vence primárias na Flórida e volta a ser favorito

O ex-governador tem boas razões para sentir-se satisfeito. As pesquisas de boca de urna assinalam vitória sobre Gingrich em praticamente todos os segmentos da população

Miami - O ex-governador de Massachusetts Mitt Romney venceu nesta terça-feira com contundência as primárias republicanas na Flórida e recuperou o favoritismo em uma disputa eleitoral caracterizada até agora pelos drásticos altos e baixos de seus participantes.

Com 81% das urnas apuradas, Romney soma 47% dos votos, uma vantagem de 15% sobre o ex-presidente da Câmara de Representantes Newt Gingrich.

Muito atrás ficaram os dois adversários restantes, o ex-senador Rick Santorum, que obteve 13%, e o congressista Ron Paul, que conseguiu 7%.

Exultante, Romney discursou a seus seguidores para agradecer a vitória e, já assumindo a condição de candidato do partido, atacar o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, com quem pretende concorrer no pleito de 6 de novembro.

'Senhor presidente, elegeram-no para liderar, mas o senhor optou por deixar-se mandar. Chegou o momento de colocá-lo de lado', avaliou Romney.

Assim como fez ao longo de seus discursos de campanha, Romney arremeteu contra o presidente americano associando-o ao Velho Continente, afirmando que a Casa Branca de Obama representa 'o pior do que se tornou a Europa'.

O ex-governador tem boas razões para sentir-se satisfeito. As pesquisas de boca de urna assinalam vitória sobre Gingrich em praticamente todos os segmentos da população, sendo que as mulheres, os maiores de 50 anos e a população latina deram-no a grande maioria de seus votos.

Gingrich se impôs apenas no noroeste do estado, onde a população é de orientação mais conservadora.

Os resultados representaram uma grande mudança quanto ao caminho que a campanha eleitoral tomava há apenas dez dias. Na ocasião, as primárias da Carolina do Sul davam vitória por 12% de diferença ao ex-presidente da Câmara, enquanto as pesquisas indicavam seu triunfo também na Flórida.

Esse revés foi um grande baque para Romney, que depois de vencer com tranquilidade em New Hampshire no dia 10 previa levar a melhor na Carolina do Sul e também na Flórida para dar sua nomeação como certa.


Apesar disso, Gingrich foi perdendo terreno nos últimos dez dias, em parte pela enorme vantagem financeira de Romney, que arrecadou muito mais dinheiro que seu rival e pôde gastar no estado sulista dez vezes mais que ele.

Também representou um papel crucial a agressividade de Romney nos dois debates realizados no estado, nos quais pôs seu rival na defensiva e promoveu uma série de anúncios negativos contra Gingrich, em resposta à tática que o ex-presidente da Câmara utilizara com sucesso contra ele na Carolina do Sul.

Talvez tenha pesado também para os eleitores deste estado, muito mais representativo em todo o país do que as escalas prévias do processo republicano, o fato de as enquetes indicarem que Obama teria mais problemas para derrotar Romney do que Gingrich.

O grande desafio agora para Romney será sustentar sua vitória nas próximas primárias. Seu rival, no entanto, indicou que ainda não se rendeu e que continuará sua batalha.

A próxima parada do processo acontecerá no sábado em Nevada, onde, à primeira vista, o ex-governador não terá vida fácil: um dos principais simpatizantes de Gingrich é um magnata dos cassinos de Las Vegas, e a corrente conservadora Tea Party, que se inclina pelo ex-presidente da Câmara, tem bastante peso no estado.

Após Nevada virão quase imediatamente outros três estados, Colorado, Minnesota e Missouri, todos eles considerados decisivos para a escolha do nome republicano.

Depois de sua vitória nesta terça-feira, que concedeu a ele 50 delegados, Romney soma 84 representantes para a convenção republicana que em agosto, na cidade de Tampa (Flórida), designará oficialmente o candidato do partido.

Gingrich conta até agora 27 delegados, enquanto Santorum tem dez e Paul soma oito. São necessários 1.144 para obter a candidatura republicana.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.