Mundo

Romney quer fim de ataques sobre Bain Capital

Romney alegou que, embora tenha continuado como acionista proprietário da companhia, deixou toda a responsabilidade da direção ou gestão nela em 1999

Mitt Romney: ''Era o dono, mas não tive nenhum papel nas tomadas de decisão''  (©AFP / Nicholas Kamm)

Mitt Romney: ''Era o dono, mas não tive nenhum papel nas tomadas de decisão'' (©AFP / Nicholas Kamm)

DR

Da Redação

Publicado em 4 de setembro de 2013 às 17h18.

Washington - O virtual candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Mitt Romney, disse nesta sexta-feira que deixou em 1999 a Bain Capital, firma de investimentos que dirigia, e exigiu ao comitê de campanha do atual presidente e candidato democrata à reeleição, Barack Obama, que deixe suas acusações ''falsas'' e ''desonestas'' contra ele.

Em uma entrevista à rede de televisão ''CNN'', Romney alegou que, embora tenha continuado como acionista proprietário da companhia, deixou toda a responsabilidade da direção ou gestão nela em 1999.

''Era o dono, mas não tive nenhum papel nas tomadas de decisão'' a partir daquela data, afirmou Romney, e por isso defendeu que não pode ser considerado responsável, como dizem os democratas, pelas quebras ou demissões de trabalhadores que a Bain Capital provocou em outras empresas posteriormente.

Acompanhe tudo sobre:Bain CapitalBarack ObamaEleições americanasEmpresasMitt RomneyPersonalidadesPolíticos

Mais de Mundo

Milei se reunirá com Macron em viagem à França para abertura dos Jogos Olímpicos

'Tome chá de camomila', diz Maduro após Lula se preocupar com eleições na Venezuela

Maduro deve aceitar resultado das eleições se perder, diz ex-presidente argentino

Macron só vai nomear primeiro-ministro após Jogos Olímpicos

Mais na Exame