Rafael Correa, confirma participação na Rio+20

Correa considera que a Rio+20 vai tratar do "futuro" e da "vida do planeta” e que torce pelo “êxito” da conferência

Brasília – O presidente do Equador, Rafael Correa, confirmou hoje (30), por meio do ministro das Relações Exteriores equatoriano, Ricardo Patiño, que participará da Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), de 13 a 22 de junho, no Rio de Janeiro. Segundo o chanceler, Correa considera que a Rio+20 vai tratar do "futuro" e da "vida do planeta” e que torce pelo “êxito” da conferência.

“Nós valorizamos muito esse tema. A disposição do governo do Equador é para cooperar para o êxito desse evento. Aqui [no Brasil] estará sendo discutido o futuro e a vida do planeta. Queremos que o Brasil conte com o nosso respaldo”, disse Patiño, que se reuniu por cerca de uma hora e meia com o ministro das Relações Exteriores brasileiro, Antonio Patriota.

Em seguida, Patiño destacou a necessidade de consolidar as parcerias regionais em busca da unidade e do fortalecimento da América Latina como um todo. “A América Latina está dando mostras de que é possível crescer permanentemente e melhorar os indicadores sociais e ambientais, construindo novos paradigmas”, disse o chanceler do Equador. “A união dos nossos países é fundamental.” Para ele, os exemplos dados pelos governo latino-americanos se baseiam na associação do crescimento econômico com melhoria das condições de vida por meio da inclusão social.

Patriota e Patiño conversaram também sobre parcerias nas áreas de ciência, tecnologia, inovação, educação e infraestrutura, além de política regional. Para Patiño, o Brasil pode cooperar no projeto de construção da Refinaria do Pacífico, orçada em US$ 10 bilhões. Segundo ele, projeto ainda está na fase de busca de investidores. O principal deve ser o governo da China.

De 2004 a 2011, o intercâmbio comercial entre Brasil e Equador praticamente dobrou, passando de US$ 575 milhões para pouco mais de US$ 1 bilhão. Patriota acrescentou ainda que o governo do Brasil confia na economia equatoriana que, no ano passado, registrou crescimento de 7,8%.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.