Quatro em cada dez pacientes de coronavírus nos EUA têm entre 20 e 54 anos

Estudo publicado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos mostra que não são só idosos que estão vulneráveis

Quase quatro a cada dez pacientes que foram hospitalizados nos Estados Unidos por causa do novo coronavírus têm idades entre 20 e 54 anos. É o que indica estudo publicado na quarta-feira pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) americano. Apesar disso, menos de 0,3% dos contaminados desta faixa etária morreu – a letalidade é maior entre idosos.

O estudo, que não leva em consideração casos de americanos repatriados vindos de Wuhan (China) e do Japão, analisou dados disponíveis entre 12 de fevereiro e 16 de março. O relatório inclui tanto casos da doença confirmados pelas autoridades de saúde pública locais quanto aqueles que testaram positivo em laboratórios e foram confirmados pelo CDC. Até então, um total de 4.226 casos haviam sido reportados, mas as estatísticas dizem respeito aos pacientes com idade conhecida, que são 2.449.

Entre esses, um quinto dos casos foi grave; ou seja, levou a hospitalizações. Dos hospitalizados, 38% são jovens e adultos, e quase todos os outros são mais velhos que isso – a taxa de hospitalização de pessoas com menos de 20 anos foi de 1,6%, e nenhum desses casos chegou a precisar de cuidado intensivo.

Embora a taxa de hospitalização seja relativamente mais distribuída, o risco aumenta conforme a idade. Enquanto menos de 0,3% dos jovens e adultos contaminados morreu, a taxa de óbito para os doentes acima de 54 anos foi de 3,4%. A letalidade aumenta ainda dentro do grupo dos mais velhos – 10,4% dos casos de contaminação em pessoas acima de 85 anos foram fatais, segundo o levantamento, frente a 1,4% de fatalidade entre 55 e 64 anos.

Os resultados apontam para a mesma direção que os números da China. Lá, de acordo com o relatório, aproximadamente 80% das mortes ocorreram entre pessoas com mais de 60 anos de idade, enquanto apenas 0,1% ocorreram entre jovens com menos de 19 anos.

Apesar disso, os pesquisadores ressaltam a importância de medidas como distanciamento social em todas as idades, já que isso contribui para retardar o ritmo de disseminação da doença e evita a sobrecarga do sistema de saúde.

OMS

Apesar disso, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, destacou ontem o papel dos jovens na luta contra a pandemia do coronavírus. “Vocês não são invencíveis. Esse vírus pode colocar você no hospital por semanas ou até matar. Mesmo que não fique doente, as escolhas que faz sobre onde ir podem fazer a diferença sobre a vida ou a morte de outra pessoa”, afirmou. “A solidariedade é a chave para combater a covid-19, entre países e entre pessoas”.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.