Parlamento italiano aprova orçamento, e Monti deve renunciar

A aprovação definitiva dos orçamentos era o horizonte temporário que Monti

Roma - O parlamento da Itália aprovou nesta sexta-feira de forma definitiva o orçamento geral do Estado de 2013, último passo antes de o primeiro-ministro do país, Mario Monti, formalizar sua já anunciada renúncia perante o presidente da República, Giorgio Napolitano.

Com 309 votos a favor, 55 contra e 5 abstenções, a Câmara dos Deputados ratificou em terceira leitura parlamentar o que ficou conhecido na Itália como projeto de Lei de Estabilidade, que tinha sido aprovado em Conselho de Ministros na madrugada do dia 10 de outubro.

A aprovação definitiva dos orçamentos era o horizonte temporário que Monti - que chegou ao poder em novembro de 2011 - após a renúncia de Berlusconi tinha fixado para formalizar sua renúncia perante Napolitano, a quem já havia informado sobre sua intenção no dia 8 de dezembro.

Segundo o procedimento padrão, após a renúncia de Monti, Napolitano se reunirá, provavelmente amanhã, com os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, e depois assinará o decreto para a dissolução do Parlamento. Depois, serão convocadas oficialmente as eleições, previsivelmente para 24 de fevereiro. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também