Mundo

Papa visita Colômbia para estimular processo de paz

O papa argentino adiou aceitar um convite do governo e da Igreja de visitar a Colômbia até que um processo de paz estivesse em andamento

Papa Francisco: Ele passará cinco dias no país, visitando Bogotá, Villavicencio, Medellín e Cartagena (Tony Gentile/Reuters)

Papa Francisco: Ele passará cinco dias no país, visitando Bogotá, Villavicencio, Medellín e Cartagena (Tony Gentile/Reuters)

R

Reuters

Publicado em 3 de setembro de 2017 às 13h57.

Cidade do Vaticano - O papa Francisco viajará à Colômbia nesta semana para encorajar o processo de paz incipiente que encerrou meio século de guerra entre uma sucessão de governos e o grupo guerrilheiro Farc, mas que deixou o país profundamente dividido.

Francisco, em sua vigésima viagem internacional como pontífice e ​a quinta à sua nativa América Latina, passará cinco dias no país, visitando a capital Bogotá e as cidades de Villavicencio, Medellín e Cartagena.

O papa argentino adiou aceitar um convite do governo e da Igreja de visitar a Colômbia, onde cerca de 80 por cento da população é católica, até que um processo de paz viável estivesse em andamento.

"Ele queria ir há muito tempo. Agora, o momento chegou", disse o porta-voz do Vaticano, Greg Burke.

As Farc, de longe o maior grupo rebelde da Colômbia, apresentou seu novo partido político na semana passada, em um grande passo de sua transição para uma organização civil após mais de 50 anos de guerra que matou 220 mil pessoas.

Sob seu acordo de paz com o governo, em 2016, a maioria dos combatentes das Farc receberam anistia e tiveram permissão para participar da política. Se os rebeldes irão obter apoio dos colombianos ainda está em aberto.

 

Acompanhe tudo sobre:BogotáColômbiaFarcIgreja CatólicaPapa FranciscoVaticano

Mais de Mundo

Netanyahu desmente que Israel tenha intenção de abandonar a frontera de Gaza com Egito

Por que Taylor Swift pode influenciar Banco da Inglaterra na decisão sobre as taxas de juros

Por que o apoio financeiro de Hollywood a Biden pode estar ameaçado

Quantidade de poeira no ar caiu em 2023, diz agência da ONU

Mais na Exame