ONU aponta melhora no tratamento a Aids em países pobres

Segundo a organização, acesso aos remédios melhorou e taxa de novas infecções caiu 25%
A descoberta da Aids completa 30 anos no próximo domingo
A descoberta da Aids completa 30 anos no próximo domingo
D
Da RedaçãoPublicado em 03/06/2011 às 13:53.

Nova York - A Organização das Nações Unidas assinalou nesta sexta-feira uma melhora considerável no acesso a tratamentos antirretrovirais que agora alcançam em torno de 6,6 milhões de soropositivos em países de renda média e baixa, enquanto as taxas de novas infecções pelo HIV caíram em quase 25%.

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre o HIV/aids (Unaids) divulgou nesta sexta-feira um relatório sobre os 30 anos, que assinala que esse melhor acesso é 22 vezes superior ao que havia em 2001.

No próximo domingo, o primeiro caso de aids (5 de junho de 1981) completa 30 anos, uma doença com a qual vivem 34 milhões de pessoas no mundo e que causou a morte de 30 milhões, segundo dados da organização internacional, que indica que a cada dia se produzem em torno de 7 mil novas infecções.

Além disso, indicou que em 2010 se alcançou um número recorde de 1,4 milhões de pessoas que pela primeira vez iniciaram o tratamento, um número muito superior a qualquer ano prévio.

Além disso, pelo menos 420 mil crianças recebiam esse tipo de tratamento no fim do ano passado, o que supõe um aumento superior de 50% em relação aos 275 mil que ocorreram em 2008.

"O acesso ao tratamento transformará a resposta da aids na próxima década. Devemos investir em acelerar o acesso ao tratamento do HIV e em encontrar novas opções de tratamento", assinalou nesta sexta-feira o diretor-executivo desse programa, Michel Sidibé, ao apresentar o documento.

O diretor acrescentou que os tratamentos são "mais do que nunca um grande motor para a mudança: não só impedem que as pessoas morram, mas também evitam novas infecções pelo HIV em homens, mulheres e crianças".