O futuro do Trumpcare

“O Ato de Saúde Americana irá resgatar aqueles machucados pelas falhas do Obamacare e estabelecer o terreno para um sistema de saúde centrado no paciente”, escreveram os representantes republicanos Kevin Brady e Greg Walden em texto publicado no Wall Street Journal. Brady, do Texas, é o presidente do Comitê de Meios e Maneiras no Congresso e Walden, do Oregon, é o presidente do Comitê de Energia e Comércio. Os dois comitês aprovaram com praticamente nenhuma mudança o Ato de Saúde Americana (AHCA, na sigla em inglês, também chamado de Trumpcare), que segue nas próximas semanas para aprovação do plenário na Casa dos Representantes.

O projeto de Trump desagradou democratas e republicanos. Para os republicanos, o problema é que muitas partes do Obamacare permaneceram no projeto, como o direito de permanecer na apólice dos pais até os 26 anos, a garantia de que os seguros irão cobrir condições de saúde pré-existentes e a proibição de limites anuais ou por tempo de vida.

Para os democratas, o problema são as mudanças. Um dos pontos mais polêmicos foi a retirada do mandado individual, que obrigava todos os cidadãos que poderiam pagar a ter um plano de saúde. Os republicanos substituíram o mandado por uma penalidade de 30% no valor anual do plano para quem se inscrever somente quando estiver doente e precisando de tratamento. A alegação era que o mandado individual forçava os preços dos planos de saúde para cima e afetava americanos demais.

Até o site conservador Breitbart News, cujo presidente, Steve Bannon, é um dos principais conselheiros de Trump, chamou a legislação de “Obamacare 2.0”. Uma pesquisa da classificadora de risco Standard and Poor’s apontou que, com a nova legislação, de 6 a 10 milhões de pessoas devem perder seus planos de saúde. A batalha será dura no Congresso.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.