A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Japão alerta Reino Unido sobre consequências do Brexit

Um documento do Japão publicado hoje disse que algumas montadoras receiam ser atingidas por um duplo golpe de tarifas comerciais se acontecer o Brexit

Hangzhou -- O Ministério das Relações Exteriores do Japão publicou um documento de 15 páginas, com o título "Mensagem do Japão para o Reino Unido e União Europeia", no qual detalha os requisitos da negociação após Brexit e as consequências se as exigências não forem atendidas.

O documento foi entregue antes do início da cúpula do G-20, que acontece entre hoje (4) e amanhã (5), em Hangzhou, na China. Atualmente, metade dos investimentos japoneses na União Europeia são destinados para o Reino Unido por meio de empresas como a Nissan, Honda, Mitsubishi, Nomura e Daiwa.

Segundo o alerta, importantes companhias podem deixar o Reino Unido. "Empresas japonesas com sede europeia no Reino Unido podem decidir por transferir sua sede para a Europa Continental, se as leis da União Europeia deixarem de ser aplicadas após a saída do Reino Unido do bloco", informa o relatório.

O documento informa que algumas montadoras, por exemplo, receiam ser atingidas por um duplo golpe de tarifas comerciais. Segundo o texto, as empresas temem ser tarifadas pela importação de peças da União Europeia e depois, novamente, por produtos montados no Reino Unido e exportados.

Outro receio está na exportação a partir do Reino Unido para outros países, já que a União Europeia tem acordos comerciais vantajosos.

G-20

Em discurso durante o início da cúpula do G-20, a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, reiterou que não haverá segundo referendo e que o Reino Unido deixará a União Europeia. "Brexit significa Brexit", disse, durante coletiva de imprensa.

A primeira-ministra discursou junto com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e ambos enfatizaram que as relações comerciais continuam, apesar da decisão de saída do bloco.

Obama, no entanto, manteve sua postura de que a decisão pode atrasar novas negociações comerciais diretas entre os dois países. Obama disse que "não faria sentido" que esforços comerciais com a União Europeia ou Ásia sejam colocados de lado para negociações com o Reino Unido. Fonte: Dow Jones Newswires.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também