Itália confisca propriedades e iates de bilionários para pressionar Rússia

O empresário bilionário Alisher Usmanov tinha uma mansão de 17 milhões de euros que foi confiscada na ilha da Sardenha
 (Mikhail Svetlov/Getty Images)
(Mikhail Svetlov/Getty Images)
Por ReutersPublicado em 05/03/2022 19:31 | Última atualização em 05/03/2022 19:31Tempo de Leitura: 2 min de leitura

 A polícia italiana confiscou propriedades e iates no valor de 143 milhões de euros de cinco russos que foram colocados na lista de sanções após o ataque de Moscou à Ucrânia, afirmou o governo neste sábado.

Quer saber tudo sobre a invasão da Ucrânia e como isso impacta o Brasil e você? Leia na EXAME. 

As propriedades de luxo foram tomadas em alguns dos locais mais prestigiados da Itália --a ilha da Sardenha, no Lago Como e na Toscana--, e dois super-iates foram confiscados em seus ancoradouros nos portos do norte.

As operações da polícia fizeram parte de uma ação coordenada de estados ocidentais para penalizar russos ricos e tentar forçar o presidente Vladimir Putin a retirar suas tropas da Ucrânia.

A lista emitida pelo gabinete do primeiro ministro Mario Draghi mostrou que o ativo de maior valor agora nas mãos da polícia é um iate de 65 metros chamado “Lady M”, que tem um preço listado de 65 milhões de euros e pertencia ao homem mais rico da Rússia, Alexey Mordashov.

Um segundo barco de luxo, o Lena, foi confiscado no porto de Sanremo, nas proximidades. Ele valia 50 milhões de euros e pertencia a Gennady Timchenko, descrito por Putin como um dos seus colaboradores mais próximos.

O empresário bilionário Alisher Usmanov tinha uma mansão de 17 milhões de euros que foi confiscada na ilha da Sardenha, no Mediterrâneo, e Oleg Savchenko, membro do parlamento russo, teve tomada de si uma casa do século 17 perto de Lucca, na Toscana, no valor de 3 milhões de euros.