Coreia do Sul inicia exercícios militares com os EUA em meio às ameaças do Norte

Exercícios Ulchi Freedom Shield continuarão até 1º de setembro
As tensões aumentaram desde o colapso do segundo encontro entre o ex-presidente Donald Trump e o líder norte-coreano Kim Jong Un no início de 2019 (Matthew Teutsch/U.S. Navy/Handout/Reuters)
As tensões aumentaram desde o colapso do segundo encontro entre o ex-presidente Donald Trump e o líder norte-coreano Kim Jong Un no início de 2019 (Matthew Teutsch/U.S. Navy/Handout/Reuters)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 22/08/2022 às 12:32.

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul iniciaram seu maior treinamento militar combinado em anos nesta segunda-feira, 22, ao aumentar sua postura de defesa contra a crescente ameaça nuclear norte-coreana. Os exercícios Ulchi Freedom Shield continuarão até 1º de setembro e incluem o uso de aeronaves, navios de guerra, tanques e potencialmente dezenas de milhares de soldados.

Enquanto Washington e Seul descrevem seus exercícios como defensivos, a Coreia do Norte os retrata como ensaios de invasão e os usou para justificar seu desenvolvimento de armas e mísseis.

As tensões aumentaram desde o colapso do segundo encontro entre o ex-presidente Donald Trump e o líder norte-coreano Kim Jong Un no início de 2019. Os americanos então rejeitaram as exigências norte-coreanas de uma grande liberação de incapacitantes sanções lideradas pelos EUA em troca do desmantelamento de um complexo nuclear envelhecido, que equivaleria a uma rendição parcial do poder nuclear do Norte. Desde então, Kim prometeu reforçar sua dissuasão nuclear diante de pressão dos EUA.

Veja também: 

China estende racionamento de energia para fábricas, diante de onda de calor

Morte de filha de guru de Putin eleva risco de escalada na Guerra da Ucrânia