China não deve ceder em acordo comércio-câmbio dos EUA

Apesar disso, a China acredita que apreciação do iuane é uma tendência geral

Pequim - A China vai mostrar ceticismo sobre a oferta norte-americana para liberar o comércio de bens de alta tecnologia e vai rejeitar qualquer barganha para acelerar a apreciação de sua moeda, disseram economistas e assessores do governo chinês nesta quinta-feira.

O secretário do Tesouro norte-americano, Timothy Geithner, disse na véspera que Washington quer fazer progresso em dar à China maior acesso ao mercado de bens de alta tecnologia de seu país, contanto que a China ceda um pouco no controle de sua taxa de câmbio.

Autoridades chinesas recusaram-se a comentar a proposta de Geithner, feita antes da visita do presidente chinês, Hu Jintao, aos Estados Unidos na próxima semana, mas uma série de assessores e analistas disseram que o país não deve concordar.

"A China nunca pensou na apreciação do iuane sob essa perspectiva", disse Ding Yifan, vice-presidente do Instituto Mundial do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento, um instituto do governo.

"O iuane não vai subir na forma designada pelos Estados Unidos. A apreciação do iuane é uma tendência geral. Não é porque os Estados Unidos querem."

Washington pode, inclusive, ser muito lenta na abertura comercial, afirmou Tao Xie, especialista em relações EUA/China da Universidade de Estados Estrangeiros de Pequim.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.