Chanceler da Argentina renuncia

Buenos Aires - O chanceler da Argentina, Jorge Taiana, apresentou hoje sua renúncia "indeclinável" à presidente Cristina Fernández de Kirchner, informaram à Agência Efe porta-vozes do diplomata. Depois de conversar com Cristina, o ministro das Relações Exteriores apresentou sua renúncia por considerar que não tinha apoio e por diferenças de opinião em matéria de política […]
 (EXAME.com)
(EXAME.com)
D
Da RedaçãoPublicado em 18/06/2010 às 16:34.

Buenos Aires - O chanceler da Argentina, Jorge Taiana, apresentou hoje sua renúncia "indeclinável" à presidente Cristina Fernández de Kirchner, informaram à Agência Efe porta-vozes do diplomata.

Depois de conversar com Cristina, o ministro das Relações Exteriores apresentou sua renúncia por considerar que não tinha apoio e por diferenças de opinião em matéria de política externa, disseram as fontes.

A renúncia de Taiana foi confirmada pelo chefe do gabinete, Aníbal Fernández, que se limitou a dizer que Héctor Timerman, atual embaixador argentino nos Estados Unidos, será o novo chanceler.

O diplomata renunciou de forma "indeclinável", por motivos "pessoais", entre outros termos em uma carta enviada a governante.

Os porta-vozes assinalaram que Taiana sentia "falta de apoio" e mantinha "diferenças" nas "decisões políticas" que afetam às relações exteriores da Argentina.

A renúncia do chanceler coincide com as negociações da Argentina para resolver o conflito com o Uruguai pela instalação de uma fábrica de celulose gigantesca em uma área fronteiriça.

Além disso, coincide com a ofensiva da Argentina contra a decisão do Reino Unido de começar a explorar petróleo em torno das ilhas Malvinas, o motivo da guerra de 1982, cuja soberania é disputada pelos dois países desde 1833, quando elas foram invadidas pelos britânicos.

Taiana, de 60 anos, tinha sido designado chanceler no fim de 2005, durante o Governo de Néstor Kirchner (2003-2007), marido e antecessor de Cristina.