Macron sobre Bolsonaro: “acho que os brasileiros têm um pouco de vergonha”

Macron lamenta comentários "desrespeitosos" do presidente brasileiro sobre sua esposa e diz que "brasileiros têm um pouco de vergonha desse comportamento"

São Paulo —A troca de farpas entre Emmanuel Macron e Jair Bolsonaro continua nesta segunda-feira (26).

No último final de semana, o presidente brasileiro respondeu a um comentário em seu perfil no Facebook que comparava a esposa de Macron, Brigitte Macron, 64 anos, com Michelle Bolsonaro, 37 anos.

“Entende agora porque Macron persegue Bolsonaro?”, questionou um bolsonarista.”Não humilha cara. Kkkk”, respondeu Bolsonaro.

Em entrevista coletiva durante a cúpula do G7, em Biarritz, na França, Macron lamentou os comentários “extraordinariamente desrespeitosos” de Bolsonaro sobre Brigitte, dizendo-se “triste por ele e pelos brasileiros”.

“O que eu posso dizer a vocês? É triste, mas é em primeiro lugar triste para ele e para os brasileiros”, afirmou, acrescentando que espera que o Brasil “tenha um presidente que se comporte a altura”, disse.

“Acho que os brasileiros, que são um grande povo, têm um pouco de vergonha de ver esse comportamento e esperam que um presidente se comporte bem em relação aos outros”, completou.

Na semana passada, em meio a crise na Amazônia, Macron afirmou que Bolsonaro “mentiu” e se mostrou contrário ao acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul.

Dias depois, Bolsonaro respondeu e disse que “nenhum país europeu tem autoridade para nos ensinar em como tratar do meio ambiente”.

Tréplica

Poucos minutos depois, Bolsonaro voltou a criticar o chefe do Executivo francês em seu perfil no Twitter. “Não podemos aceitar que um presidente, Macron, dispare ataques descabidos e gratuitos à Amazônia, nem que disfarce suas intenções atrás da ideia de uma ‘aliança’ dos países do G-7 para ‘salvar’ a Amazônia, como se fôssemos uma colônia ou uma terra de ninguém”, escreveu o presidente.

“Outros chefes de Estado se solidarizaram com o Brasil, afinal respeito à soberania de qualquer país é o mínimo que se pode esperar num mundo civilizado”, finalizou Bolsonaro na rede social.

 

 

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.