Banco eleva estimativa de crescimento para Ásia

Bangcoc - O Banco Asiático de Desenvolvimento (BAD) revisou para cima sua previsão de crescimento das economias da Ásia Oriental de 7,7% a 8,1%, mas alertou que haverá estagnação em 2011.

O bom comportamento da Ásia Oriental no primeiro semestre do ano foi determinado pela recuperação do setor das exportações, pilar de muitas das economias da região; a solidez de demanda privada e as políticas de estímulo econômico.

O relatório Monitor Econômico da Ásia/Julho 2010, apresentado em Cingapura, mantém a China como o motor regional e prevê que o gigante crescerá 9,6% em 2010 e 9,1% em 2011.

Hong Kong subirá 5,4% (2010) e 4,3% (2011); Coreia do Sul 5,5% e 4,6%; Taipé, 5,9% e 4%; Cingapura 12,5% e 5%; Mianmar 5,2% e 5,5%; Brunei 1,1% e 1,5%; Camboja 4,5% e 6%; Filipinas 5% e 4,6%; Indonésia 6% e 6%; Laos 7% e 7,5%; Malásia 6,8% e 5%; Tailândia 5,5% e 4,5%; e Vietnã 6,5% e 6,8%.

O diretor do Escritório de Integração Regional do BAD, Srinivasa Madhur, reconheceu que estes dados são bons e representam um êxito, mas, para ele, "é muito cedo para comemorar vitória".

"Garantir que a recuperação é sustentável depende muito do conteúdo das baterias de medidas de estímulos econômicos, de quando e como se aplicam. O setor privado dever ser suficientemente forte para tomar o bastão", indicou Madhur.

Os especialistas do organismo financeiro com sede em Manila advertiram aos responsáveis econômicos dos diferentes Governos que "o desafio principal é reduzir a ajuda sem alterar o crescimento".

É por isto que o BAD acredita que as autoridades chinesas precisam elevar as taxas de juros ou fortalecer a cotação do iuane para conter a inflação, após o aumento do gasto público por conta da recessão econômica mundial.

A China, como outros países asiáticos, aumentou em 2009 o gasto público, e diminuiu as taxas de juros para incentivar o crescimento econômico perante a recessão mundial, e agora estuda medidas para evitar o risco de sobreaquecimento.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também