Austrália sofre dia mais mortal da pandemia e aumento das hospitalizações

Variante Ômicron do novo coronavírus elevou hospitalização para níveis recordes, mesmo com redução das infecções
Austrália lida com seu pior surto de Covid-19, impulsionado pela variante Ômicron (Sandra Sanders/Reuters)
Austrália lida com seu pior surto de Covid-19, impulsionado pela variante Ômicron (Sandra Sanders/Reuters)
Por ReutersPublicado em 18/01/2022 10:57 | Última atualização em 18/01/2022 10:57Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Austrália sofreu o pior dia da pandemia nesta terça-feira, enquanto um surto rápido da variante Ômicron do novo coronavírus continua impulsionando as taxas de hospitalização para níveis recordes, mesmo com uma leve diminuição no número de infecções.

  • Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME

A Austrália lida com seu pior surto de Covid-19, impulsionado pela variante Ômicron, que colocou mais pessoas em hospitais e unidades de tratamento intensivo do que em qualquer outro momento da pandemia.

Um total de 77 mortes foi registrado, superando a maior marca nacional anterior, que era de 57 na quinta-feira, mostraram dados oficiais.

"Hoje é um dia muito difícil para nosso Estado", afirmou o premiê de Nova Gales do Sul, Dominic Perrottet, durante um briefing à imprensa enquanto o Estado reportou 36 mortes, um novo recorde pandêmico.

Apenas quatro dos que morreram no Estado haviam recebido a dose de reforço da vacina, levando as autoridades sanitárias estaduais a pedirem que pessoas evitem adiar a terceira dose. Trinta e três pessoas haviam recebido as duas doses do imunizante.

"Precisa haver um senso de urgência para abraçarmos as doses de reforço", disse o diretor-chefe de Saúde de Nova Gales do Sul, Kerry Chant. "Contra a Ômicron, sabemos que a proteção é menor, e precisamos daquele próximo reforço para conseguir um nível maior de proteção."

O avanço da vacinação pode mexer com seu bolso: saiba como proteger seu patrimônio.