Atentados matam 44 no Iraque

Os ataques acontecem no dia do nono aniversário da invasão americana e a poucos dias da reunião de cúpula da Liga Árabe

Bagdá - Pelo menos 44 pessoas morreram em uma onda de atentados coordenados em várias cidades do Iraque, no dia do nono aniversário da invasão americana e a poucos dias da reunião de cúpula da Liga Árabe prevista para 29 de março em Bagdá.

Os ataques mais violentos aconteceram na cidade sagrada xiita de Kerbala, 110 km ao sul de Bagdá, onde morreram 13 pessoas, e em Kirkuk (norte), onde faleceram 13 policiais.

Três pessoas morreram e quatro ficaram feridas na explosão de um carro-bomba perto do ministério das Relações Exteriores na capital.

Além disso, em Bagdá um grupo armado matou três policiais em uma igreja na zona oeste da cidade.

Ataques também foram registrados nas cidades de Mossul (norte) Ramadi (oeste), Hilla (centro), Baji, Duluiya (centro) e na região de Tikrit.

Um ataque em Tuz Jurmatu resultou na morte de um membro do conselho municipal.

No total, 13 cidades foram afetadas pelos atentados que deixaram mais de 180 feridos e que aconteceram entre 7H00 e 9H00.

O governo iraquiano já havia advertido que a Al-Qaeda e os partidários do ex-ditador Saddam Hussein tentariam espalhar o caos no país.

As autoridades mobilizaram um grande esquema de segurança para a reunião da Liga Árabe, que terá as presenças de vários chefes de Estado e do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

O encontro, o primeiro em Bagdá desde 1990, será precedido por reuniões dos ministros árabes da Economia e das Relações Exteriores.

Em Kerbala, duas bombas explodiram perto de um restaurante e de um parque: 13 pessoas morreram, incluindo cinco peregrinos iranianos e 30 ficaram feridas.


Em Kirkuk, 240 km ao norte de Bagdá, a explosão de um carro-bomba perto de uma delegacia na zona sul da cidade matou 13 policiais e deixou 50 pessoas feridas.

Em Bagdá, um carro-bomba matou duas pessoas e deixou oito feridos, segundo fontes médicas e o ministério do Interior.

Quatro pessoas morreram em atentados na província de Salahedin (norte). Na cidade de Hilla, outro carro-bomba deixou dois mortos.

Em Ramadi (oeste) dois civis morreram e 11 ficaram feridos em um ataque com carro-bomba contra uma patrulha militar.

A última grande onda de violência no Iraque havia acontecido no dia 23 de fevereiro, quando uma série de ataques atribuídos à Al-Qaeda matou 42 pessoas em seis províncias.

O Estado Islâmico do Iraque (ISI), coalizão dos grupos ligados à Al-Qaeda, reivindicou na semana passada uma ataque em Haditha, oeste do país, que matou 27 policiais.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.