Mundo

Alemanha quer proibir carros a combustão até 2030

Plano faz parte da meta de reduzir em pelo menos 80% as emissões de gás carbono no país até 2050


	Carro elétrico: país apenas 130.000 híbridos e 25.000 elétricos, contra 14,5 milhões de veículos a diesel
 (Sean Gallup/Getty Images)

Carro elétrico: país apenas 130.000 híbridos e 25.000 elétricos, contra 14,5 milhões de veículos a diesel (Sean Gallup/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 18 de junho de 2016 às 15h41.

São Paulo - A Europa está disposta mesmo a reduzir o índice de emissões de dióxido de carbono. Prova disso é o recente anúncio de que Paris (França) banirá de suas ruas carros com mais de 19 anos.

Agora, segundo a publicação Autocar, a Alemanha é outra a tomar medidas efetivas para reduzir as emissões produzidas pelos veículos automotores, pois quer proibir carros a combustão no país até 2030.

O precursor dessa iniciativa é o Vice-Ministro da Economia Rainer Baake, que disse que os carros novos terão de ser livre de emissões para o país atingir a meta de redução de gás carbono de pelo menos 80% até 2050. Ainda segundo Baake, não houve na Alemanha redução de emissões de CO2 na área de transportes desde 1990.

A quantidade de carros “verdes” na Alemanha ainda é relativamente baixa, apenas 130.000 híbridos e 25.000 elétricos, contra 14,5 milhões de veículos a diesel no país.

Casos como o do “dieselgate”, que revelou inconsistências em grande escala no aspecto de emissões, mostram que a poluição liberada por modelos diesel pode ser maior do que os números oficialmente estimados.

Para tentar reverter esse quadro, o governo alemão dará incentivo para compra de veículos elétricos através de subsídios. Com isso, o governo espera ter meio milhão de veículos livre de emissões até 2020, enquanto que, para 2030, é esperado que o número de elétricos e híbridos suba para 6 milhões no país.

Com as regras cada vez mais exigentes, as montadoras alemãs já estão se mexendo para atender as medidas impostas. Como exemplo há a BMW, com o elétrico i3 e o esportivo híbrido i8, sendo que a marca bávara está desenvolvendo uma versão totalmente elétrica do último.

Já a Mercedes-Benz anunciou um carro movido a hidrogênio com autonomia de até 498 quilômetros que será produzido no ano que vem. A Volkswagen, após o escândalo do “dieselgate”, passará a investir cada vez mais em veículos verdes e projeta vender entre dois e três milhões de carros 100% elétricos em 2025.

Acompanhe tudo sobre:AlemanhaAutoindústriaCarrosCarros elétricosEmissões de CO2EuropaMeio ambientePaíses ricosVeículos

Mais de Mundo

Dois dias após atentado, Trump faz primeira aparição pública na Convenção Republicana

Biden ordena fornecimento de aparato de segurança para Kennedy Jr. e reforço para o de Trump

Site de Trump usa imagem de seu rosto ensanguentado para arrecadar fundos após atentado

Bolívia anuncia descoberta de megacampo de gás natural

Mais na Exame