Afeganistão culpa espionagem estrangeira por ataques

O presidente afegão não acusou nenhum país diretamente, mas sugeriu o possível envolvimento do Paquistão

Cabul - O Afeganistão acusou nesta segunda-feira agências de espionagem estrangeiras do ataque que na quinta-feira causou a morte de 13 pessoas em um hotel de Cabul frequentado por estrangeiros.

"As declarações das testemunhas e as investigações iniciais mostram que o ataque terrorista foi executado diretamente por serviços de espionagem de fora do país", afirmou o presidente afegão, Hamid Karzai, sem acusar nenhum país diretamente, mas sugerindo o possível envolvimento do Paquistão.

"Uma das pistas aponta que um diplomata do Paquistão usava o ginásio do Hotel Serena e filmou vídeos de seus corredores, do que se queixaram os empregados do estabelecimento", de acordo com o comunicado publicado pela agência local "AIP".

A declaração presidencial aconteceu após uma reunião do Conselho Nacional de Segurança do Afeganistão (NSC), em que Karzai foi informado do curso das investigações pelos serviços de espionagens afegãos.

A NSC acredita que se tratou de um ataque "sofisticado e complexo que talibãs normais" não poderiam realizar.

Os talibãs assumiram a autoria do ataque ao Hotel Serena, no qual quatro insurgentes mataram nove pessoas, entre elas quatro estrangeiros e um jornalista, sua mulher e suas duas filhas.


O Afeganistão costuma culpar países estrangeiros, principalmente o Paquistão por ataques em seu território. Em janeiro um ataque em um restaurante deixou 21 pessoas mortas, 13 delas estrangeiras, e o país também acusou agências estrangeiras.

O país asiático apontou a agências de espionagem estrangeiras do ataque a um restaurante que custou a vida a 21 pessoas, 13 delas estrangeiras em meados de janeiro em Cabul.

O conflito afegão está em um de seus momentos mais sangrentos desde a invasão dos Estados Unidos, que provocou a queda do regime talibã há 12 anos.

A realização de eleições presidenciais no Afeganistão, no próximo dia 5, intensificou as ações talibãs nas últimas semanas.

Este ano é o último com presença de tropas da Otan no Afeganistão, de acordo com um calendário de retirada gradual que se encerra em dezembro, quando as forças locais assumirão a segurança de todo o território.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.