Para Johnnie Walker, cachaça João Andante é plágio

O Instituto Nacional de Propriedade Intelectual concedeu registro à marca em fevereiro deste ano, mas a companhia inglesa solicitou ao órgão que anule a decisão

São Paulo – Criação de quatro amigos que estavam no último ano do ensino médio, uma cachaça batizada de João Andante incomodou a Diageo, gigante inglesa dona da marca de uísque Johnnie Walker. Como resultado da insatisfação, a multinacional agora tenta tirar a “concorrente” do mercado.

A João Andante nesceu em 2003, em Minas Gerais, e vende cerca de 200 garrafas por mês, na base da indicação e por meio da internet. Mesmo sem oferecer perigo aparente, a Diageo enxerga a tradução quixotesca da Johnnie Walker como plágio.

O INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual) concedeu registro à João Andante em fevereiro deste ano, mas a companhia inglesa solicitou ao órgão que anule a decisão.

A Diageo argumenta que a marca mineira tem sido associada à sua criação como “um primo do interior de Johnnie Walker, que imigrou para o Brasil durante a I Guerra”, e que resolveu fabricar cachaça ao invés de uísque.

“As ações adotadas contra os fabricantes da bebida ‘João Andante’ têm, por enquanto, apenas cunho administrativo e extrajudicial por conta da semelhança entre os sinais em discussão”, diz a multinacional.

Entretanto, o tiro, até agora, tem saído pela culatra, pois o caso só deu mais visibilidade à João Andante. A partir de 2012, por exemplo, os donos da empresa – que nem a tem como negócio principal – mudaram a encomenda de 200 garrafas mensais para 4 mil.

Se a propaganda espontânea der mesmo resultado, espera-se que os mineiros vendam 550 garrafas por mês. Com o custo individual a R$ 40, seria gerada uma receita potencial de quase R$ 2 milhões – bem mais do que os R$ 96 mil de 2011.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.