GM pede na Justiça indenização por danos materiais à Nissan

GM pede reconhecimento de danos materiais e quer que Nissan e agência de publicidade paguem custos do processo
 (Divulgação/Nissan)
(Divulgação/Nissan)
Por Guilherme DearoPublicado em 19/09/2017 12:36 | Última atualização em 19/09/2017 12:43Tempo de Leitura: 1 min de leitura

São Paulo - A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça de São Paulo julga hoje (19) um processo entre General Motors e Nissan que teve sua gênese em 2010.

Na época, a Nissan levou ao ar uma campanha criada pela agência Lew’Lara/TBWA onde comparava o seu modelo Livina 2011 com carros dos concorrentes - como o Meriva da GM. Honda e Fiat também eram citadas.

Imediatamente, a GM entrou com denúncia no Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) e pediu que a peça fosse investigada e saísse do ar, pois a marca concorrente estaria atacando diretamente o seu produto.

O Conar acatou o pedido na ocasião, entendendo que a campanha da Nissan era ofensiva, exibia a marca GM de forma não autorizada e transmitia a ideia de fracasso na engenharia do carro Meriva.

Em ação movida contra a Nissan e a Lew’Lara/TBWA, ambas foram condenadas e indenizar a GM em R$ 1 milhão por danos morais.

Agora, no processo julgado pelo STJ em 2017, a GM vai além e pede o reconhecimento, também, dos danos materiais.

A marca também requer que os custos e honorários do processo sejam pagos totalmente pelas outras duas partes.

Confira a campanha que gerou o processo: