Consumo do café cresce na quarentena e Nestlé aposta em bebida premium

Sobre as estratégias de fortalecimento do segmento em meio à pandemia do novo coronavírus, Rachel Müller, diretora de cafés falou com exclusividade à Exame

O café faz parte do dia a dia dos brasileiros. Em 2019, o Brasil foi o país com segundo maior consumo da bebida, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

Durante a pandemia do novo coronavírus o consumo aumentou ainda mais, com crescimento de 35%, segundo a Asssociação Brasileira da Indústria do Café.

Neste cenário, a Nestlé, que vinha numa onda de lançamentos com 12 novos produtos em 2019 na marca Nescafé, aproveita o momento para desenvolver o paladar dos consumidores locais. Sobre as estratégias de fortalecimento em meio à pandemia, Rachel Müller, diretora de cafés da Nestlé falou com exclusividade à Exame.

Como a Nestlé tem aproveitado o crescimento no consumo de café?

O café tem um papel importante na cultura do brasileiro e, neste momento, cumpre o papel de normalização de ritual conhecido e de segurança emocional. Percebemos também que as pessoas estão dispostas a experimentar novos produtos que permitam uma novidade simples no dia a dia, especialmente das que podem estar em casa. 

Como a Nestlé tem incentivado essas experimentações?

Estamos buscando apresentar os produtos premiuns. Acreditamos que o café está hoje num momento que a cerveja artesanal esteve há 10 anos. Como a experimentação está acontecendo fora das cafeterias, que estão fechadas, mandamos amostras de cafés especiais para quem compra no e-commerce próprio. Este canal cresceu 30% no período da quarentena. É uma importante estratégia porque quem gosta do premium dificilmente vai retroceder no paladar.

Estamos vendo todo o impacto econômico que a pandemia gera. As pessoas estão dispostas a pagar mais pelo produto premium? 

Temos conversado muito sobre o desafio do desembolso financeiro, mas percebemos que o premium tem sido bem aceito. No ano passado, por exemplo, foram 12 lançamentos na marca Nescafé e os resultados são bons desde então. Vendemos mais de 1 milhão de produtos nessas novas linhas e pensamos na comercialização de diferentes tamanhos. 

A produção foi comprometida de alguma forma?

Temos 1.079 produtores que trabalham próximos. Agora, apesar de não ser presencial as  conversar continuam acontecendo virtualmente. Reforçamos a comunicação de boas práticas, temos agrônomos em uma conversa constante via whatsapp e estamos dando o apoio necessário para a produção se manter estável. Fora isso, apoiamos a iniciativa Apoie um Restaurante, iniciada pela marca de cerveja Stella Artois, na qual os consumidores podem comprar antecipadamente vouchers com desconto para cafeterias e confeitarias, e metade do valor é subsidiado pela Nestlé como uma forma de apoiar o comércio.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.