Quanto vale um imóvel? Loft quer reduzir diferença entre valor pedido e pago

Em São Paulo, a diferença de valor entre o anúncio para venda e o contrato fechado chega a 90%. A Loft quer tornar o mercado mais realista
 (Luoman/Getty Images)
(Luoman/Getty Images)
Marcelo Sakate
Marcelo SakatePublicado em 16/02/2021 às 09:05.

O mercado de imóveis se ressente há décadas de uma dificuldade que custa tempo e dinheiro: como definir o valor justo de compra e venda, evitando negociações arrastadas e infrutíferas que gerem frustrações para vendedores e compradores? Nos últimos anos, esse desafio passou a ser encarado como uma das prioridades de startups dedicadas ao setor.

É o caso da Loft, que tem uma das maiores plataformas de compra e venda de imóveis do país: ela lançou um estudo para mensurar a diferença entre os valores originalmente pedidos por quem vende um imóvel e os de fechamento do negócio, com base em fontes oficiais como registros municipais e matrículas em cartório. 

Ganha pouco, mas gostaria de começar a guardar dinheiro e investir? Aprenda com a EXAME Academy

Os dados do estudo, de novembro passado, revelam que a diferença ficou, em média, em 25% na cidade de São Paulo. Mas que chegou perto dos 90% no bairro do Campo Belo, na zona sul. Em mercados desenvolvidos e com maior transparência, como o americano, a discrepância de valores fica entre 3% e 5%.

“O objetivo da iniciativa é aumentar o volume de transações, reduzir a especulação imobiliária e incrementar a taxa de ocupação de apartamentos”, afirma Mate Pencz, cofundador e coCEO da Loft. A presença em mais de 100 bairros na cidade de São Paulo e em dezenas no Rio de Janeiro e a experiência acumulada confirmaram o que era uma suspeita do começo da operação em 2018: “A diferença entre o preço pedido pelo imóvel e o preço de transação é um problema sistêmico no mercado”, afirma Pencz. 

O estudo pretende dar transparência aos dados não só de compra e venda da Loft como de negócios efetivamente fechados no mercado por outros participantes. “Quanto mais visibilidade para os dados, menos interações entre as partes para a definição do preço são necessárias”, defende o empreendedor.

Além da divulgação das diferenças, a Loft trabalha com as duas partes, vendedores e compradores, para colocá-las a par da faixa de preço realista do imóvel em questão. Os valores são definidos com uso de inteligência artificial em cima da base de dados da própria Loft e dos registros oficiais.

“Nós conseguimos precificar quanto vale o apartamento em determinado prédio, naquele bairro, com aquela vista específica etc., comparando com imóveis nas mesmas condições.”

Pencz diz reconhecer que a prática de anúncio de imóveis com preços muito mais elevados não vai mudar da noite para o dia, mas que a iniciativa é importante para contribuir com o amadurecimento do mercado. “Não podemos subestimar o poder de mudança que a tecnologia proporciona.”  

(Arte/Exame)