Invest

George Soros: quem é o homem que quebrou o Banco da Inglaterra?

Entenda tudo sobre esse famoso homem de negócios: desde sua história pessoal até sua influência nas finanças globais e sua marcante atuação filantrópica por meio da Open Society Foundations

 (Simon Dawson/Bloomberg/Getty Images)

(Simon Dawson/Bloomberg/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 11 de janeiro de 2024 às 15h53.

Última atualização em 12 de janeiro de 2024 às 11h15.

George Soros, nome famoso nos círculos financeiros e filantrópicos, personifica uma fusão notável entre investimento ousado e compromisso com causas globais.

Através de sua notável carreira como investidor e suas atividades como filantropo comprometido, Soros cativou a atenção global.

Quem é George Soros?

George Soros, nascido em 12 de agosto de 1930, é um renomado investidor, filantropo e autor de origem húngara.

Ele ganhou notoriedade por suas atividades no mercado financeiro, sendo um dos gestores de fundos hedge mais influentes da história.

Soros é conhecido por sua teoria da "reflexividade", que explora a interação complexa entre as percepções dos investidores e os eventos econômicos, impactando os mercados de maneira única.

Sua visão do mercado financeiro permitiu uma grande rentabilidade ao seu negócio ao longo dos anos.

Além de sua atuação no mundo financeiro, ele é um defensor ativo da democracia, direitos humanos e justiça social.

Através da Fundação Open Society, por ele fundada em 1979, ele tem apoiado inúmeras iniciativas em todo o mundo, buscando promover a transparência, o acesso à educação, a liberdade de imprensa e o desenvolvimento sustentável.

Sua vida e legado são um reflexo da relação entre finanças, filantropia e ativismo. A cônjuge do George Soros, Tomiko Bolton, também é ativa em projetos sociais.

História de George Soros

George Soros nasceu em Budapeste, Hungria, em 12 de agosto de 1930, em uma família judia. Durante a ocupação nazista na Segunda Guerra Mundial, sua família conseguiu sobreviver escondendo sua identidade.

Esse período traumático teve um impacto duradouro em Soros e influenciou suas futuras atividades filantrópicas.

Após a guerra, Soros emigrou para a Inglaterra, onde estudou economia na London School of Economics. Ele mais tarde se mudou para os Estados Unidos, onde iniciou sua carreira financeira.

Ficou famoso em 1992 por "quebrar" o Banco da Inglaterra, apostando contra a libra esterlina e tendo um lucro de bilhões em suas operações.

Além de suas atividades financeiras, Soros se destacou como defensor das causas sociais e políticas progressistas, fundando a Open Society Foundations.

Essa organização tem como objetivo promover valores democráticos, direitos humanos e acesso igualitário à educação e à saúde em todo o mundo.

A trajetória de Soros é marcada pela interseção única entre sua influência no mercado financeiro e seu comprometimento com a justiça social.

Em 2013, ele se casou com Tamiko Bolton, uma ex-farmacêutica com MBA, com iniciativas na saúde e educação. Seu casamento, marcado por uma diferença significativa de idade, atraiu a atenção. George Soros e Tamiko Bolton são casados até hoje.

Como George Soros ficou rico?

George Soros, renomado investidor e filantropo, acumulou sua fortuna principalmente por meio de operações financeiras e investimentos. Em 1970, ele fundou a Soros Fund Management, uma gestora de fundos de hedge.

Sua fama cresceu em 1992, quando ganhou bilhões ao apostar contra a libra esterlina, forçando o Reino Unido a retirar a moeda do Sistema Monetário Europeu.

O episódio, que ficou conhecido como "Quarta-Feira Negra", ocorreu em setembro de 1992, quando George Soros fez uma aposta ousada contra a libra esterlina, a moeda britânica.

Soros percebeu vulnerabilidades na política monetária do Reino Unido e na participação da libra no Sistema Monetário Europeu (SME). Utilizando alavancagem, ele começou a vender grandes quantidades de libras.

A pressão especulativa de Soros levou a uma desvalorização da libra em relação ao marco alemão. O governo britânico tentou defender a taxa de câmbio fixa, mas, eventualmente, foi forçado a abandonar o SME em 16 de setembro de 1992.

Isso resultou em grandes perdas para o Banco da Inglaterra e em ganhos estimados em cerca de 1 bilhão de dólares para George Soros. A "Quarta-Feira Negra" teve repercussões significativas e contribuiu para mudanças nas políticas cambiais europeias.

Investidores podem investir em câmbio de maneira mais segura, como a partir das letras de câmbio, por exemplo.

Soros Fund Management

A Soros Fund Management é uma renomada empresa de investimentos fundada por George Soros. Estabelecida em 1969, a empresa se destacou no cenário financeiro global devido à abordagem inovadora e ao histórico bem-sucedido de investimentos.

Sua abordagem de investimento, moldada pela sua teoria da "reflexividade", fundamenta-se na convicção de que as interpretações dos investidores possuem a capacidade tanto de exercer influência sobre os mercados quanto de serem moldadas por eles.

Soros acredita que essa relação dinâmica entre as percepções dos investidores e as condições do mercado é intrinsecamente interligada e pode gerar um ciclo autoperpetuante de feedbacks. 

Ao longo dos anos, a Soros Fund Management obteve reconhecimento notável por suas estratégias de investimento, incluindo operações cambiais e investimentos em diversos ativos.

Um dos momentos mais emblemáticos da empresa ocorreu em 1992, quando Soros fez uma aposta contra a libra esterlina, obtendo lucros substanciais e consolidando sua reputação como um investidor ousado.

Enquanto a empresa é conhecida por ser um fundo de hedge de sucesso, também é uma entusiasta das causas sociais.

Parte dos lucros obtidos é destinada à Fundação Open Society, evidenciando a interconexão entre os interesses financeiros e filantrópicos de Soros.

Como Soros "quebrou" o Banco da Inglaterra?

Em setembro de 1992, George Soros ganhou notoriedade ao apostar contra a libra esterlina, resultando em uma série de eventos que ficaram conhecidos como Black Wednesday ("Quarta-feira Negra").

Soros e sua empresa, a Soros Fund Management, perceberam que a libra estava supervalorizada em relação às suas reais condições econômicas.

Soros decidiu fazer uma aposta maciça contra a libra, apostando na desvalorização da moeda britânica.

Para fazer isso, ele emprestou grandes quantias de libras, as converteu em outras moedas, esperando que a libra caísse e, então, comprou novamente as libras a um preço mais baixo, obtendo lucros significativos.

As ações de Soros, junto com outros investidores, colocaram uma pressão insustentável sobre a libra e o Banco da Inglaterra não conseguiu manter a taxa de câmbio fixa.

O governo britânico finalmente foi forçado a retirar a libra do Mecanismo Europeu de Taxas de Câmbio (ERM), causando uma queda dramática na libra esterlina e resultando em enormes perdas para o Banco da Inglaterra.

Com essa operação, o investidor fez um trade muito bem-sucedido. A jogada de Soros rendeu-lhe bilhões de dólares em lucros e cimentou sua reputação como um dos investidores mais influentes da história.

George Soros na filantropia

Assim como outros homens mais ricos do mundo, o famoso investidor também busca apoiar causas sociais ao redor do globo.

Além de seu renomado sucesso no mundo dos investimentos, George Soros é internacionalmente conhecido por sua marcante dedicação à filantropia e sua significativa influência na promoção de uma ampla gama de causas sociais em todo o globo terrestre.

Fundação da Open Society

No ano de 1979, Soros inaugurou um marco importante ao estabelecer a Open Society Foundations, uma intrincada rede de organizações que desempenham suas atividades em mais de 120 países.

O foco inerente a essa rede consiste em impulsionar e fomentar valores de cunho democrático, direitos humanos, justiça social e equidade. 

Através de sua fundação, Soros tem apoiado uma variedade de iniciativas, incluindo educação, saúde, acesso à justiça, liberdade de imprensa e defesa dos direitos das minorias.

O compromisso de George Soros com a promoção da transparência e do desenvolvimento sustentável tem gerado impacto positivo em comunidades marginalizadas e em processos de democratização.

Investimentos de George Soros

George Soros, renomado investidor, ficou mundialmente conhecido por realizar uma das operações mais lucrativas no mundo do câmbio ao apostar contra a libra britânica em 1992.

Essa jogada resultou em bilhões de dólares em lucros, marcando um episódio histórico chamado de "Quarta-Feira Negra".

Posteriormente, em 1997, antes da crise financeira asiática, Soros obteve grandes ganhos ao apostar contra o baht tailandês.

Em eventos mais recentes, Soros realizou operações no mercado japonês, apostando contra o iene japonês enquanto investia em ações japonesas, o que também resultou em lucros substanciais.

Soros também possui um fundo de investimentos. Quanto às suas participações notáveis, suas principais empresas, de acordo com seu fundo de investimentos, incluem empresas como Alphabet Inc. (NASDAQ: GOOG), First Horizon National Corporation (NYSE: FHN) e Rivian Automotive, Inc. (NASDAQ: RIVN).

Livros de George Soros

Os livros de George Soros mostram muitas de suas principais ideias sobre investimentos, negócios e sociedade. Através de livros sobre investimentos, as pessoas podem aprender a alocar seu capital de maneira mais sábia.

Os primeiros trabalhos incluem "Opening the Soviet System" (1990), que discute a integração da União Soviética ao mundo livre, e "The Alchemy of Finance" (1987), uma edição expandida do livro clássico que detalha as tendências financeiras contemporâneas. 

"Soros on Soros: Staying Ahead of the Curve" (1995) oferece uma visão íntima do guru financeiro, enquanto "Underwriting Democracy" (1991) descreve sua contribuição para a mudança democrática na Europa Oriental.

"Open Society" (2000) propõe uma aliança por sociedades abertas, e "Crise do Capitalismo Global" (1998) analisa crises financeiras anteriores.

Em "O Novo Paradigma dos Mercados Financeiros" (2008) e "A Crise de 2008 e seu significado" (2009), Soros explora as origens e implicações da crise financeira de 2008.

"The Age of Fallibility" (2007) aborda a condição decadente da América, enquanto "Globalização" (2005) propõe um novo paradigma para alinhar economia e instituições.

"As Palestras de George Soros na Central European University" (2011) oferece uma visão abrangente de suas ideias sobre economia, enquanto "Financial Turmoil in Europe and the United States: Essays" (2012) destaca suas análises em tempo real da instabilidade financeira pós-crise de 2008.

"Em Defesa da Sociedade Aberta" (2019) oferece uma coletânea de escritos inéditos, abordando desde os perigos da inteligência artificial até sua filosofia política e a tragédia da União Europeia.

Acompanhe tudo sobre:MilionáriosInvestidores

Mais de Invest

“100 milhões de clientes é pouco”, diz CEO do Nubank sobre ambição internacional

Petrobras (PETR4) em queda: a pergunta que não se cala no mercado após a troca de CEO

Mega-Sena acumulada: quanto rendem R$ 25 milhões na poupança

Petrobras desaba 8% e derruba Ibovespa, apesar de alívio com inflação americana

Mais na Exame