Twitter (TWTR34) registra prejuízo no 2T22 e culpa Elon Musk por resultado

O Twitter reverteu o lucro líquido de US$ 65,64 milhões registrado entre abril e junho de 2021 e registrou um prejuízo de US$ 270,00 milhões
Logotipo do Twitter (TWTR34) (Stephen Lam/Reuters)
Logotipo do Twitter (TWTR34) (Stephen Lam/Reuters)
Carlo Cauti
Carlo Cauti

Publicado em 22/07/2022 às 10:26.

Última atualização em 22/07/2022 às 10:59.

O Twitter (TWTR34) divulgou nesta sexta-feira, 22, os resultados do segundo trimestre de 2022.

O Twitter reverteu o lucro líquido de US$ 65,64 milhões registrado entre abril e junho de 2021 e registrou um prejuízo de US$ 270,00 milhões.

No semestre, entretanto, a rede social conseguiu obter um lucro de US$ 243,27 milhões, contra os US$ 133,6 milhões registrados entre janeiro e junho 2021.

A receita caiu 1% na comparação anual, passando de US$ 1,32 bilhão no segundo trimestre de 2021 para US$ 1,18 no primeiro trimestre de 2021.

A empresa salientou que a queda de receita foi provocada pelos "ventos contrários da indústria de publicidade ligados ao ambiente macroeconômico desafiador mais amplo", bem como “incerteza relacionada à aquisição pendente do Twitter por uma controlada de Elon Musk”.

No semestre, o faturamento foi de US$ 2,37 bilhões, em alta em relação aos US$ 2,22 bilhões registrados no mesmo período do ano passado.

Os custos e despesas totalizaram US$ 1,52 bilhão, um aumento de 31% na comparação anual.

O prejuízo operacional foi de US$ 344 milhões, representando uma margem operacional de -29%, em comparação com o lucro operacional de US$ 30 milhões e a margem operacional de 3% registrados no mesmo período do ano passado. •

Twitter (TWTR34) considera o acordo com Musk válido

No relatório de resultados, o Twitter salientou que considera o acordo assinado com Elon Musk para a venda da totalidade das ações da empresa como ainda em vigor, e anunciou que vai continuar o processo iniciado no dia 12 de julho contra o CEO da Tesla (TSLA34).

"O Twitter acredita que a suposta rescisão de Musk é inválida e injusta, e o acordo de fusão continua em vigor", informou a rede social no documento depositado na Security and Exchange Commission (SEC), a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos.

O Twitter está travado em uma batalha legal contra Musk sobre sua proposta de aquisição de US$ 44 bilhões da empresa, alegando que o bilionário “se recusa a honrar suas obrigações com o Twitter e seus acionistas porque o acordo que ele assinou não atende mais a seus interesses pessoais”.

O CEO da Tesla tentou desistir do acordo alegando que o Twitter não informou corretamente o número de contas falsas presentes na plataforma e não forneceu informações solicitadas sobre contas falsas.

Na terça-feira, o Twitter obteve uma vitória preliminar quando o Tribunal de Delaware decidiu acatar o pedido de julgamento acelerado de cinco dias sobre o caso, que será celebrado em outubro.

Após a divulgação de resultados, o Twitter cai 3,67% nas negociações pré-mercado da Nasdaq.