Traders Club (TRAD3) compra parte da Galícia Educação

O investimento foi no montante de R$ 2 milhões de reais com a possibilidade de aumento para R$ 2,5 milhões após a conclusão dos documentos definitivos
O TC acredita que a educação é parte imprescindível para a democratização do mercado financeiro (TC/Divulgação)
O TC acredita que a educação é parte imprescindível para a democratização do mercado financeiro (TC/Divulgação)
Roberto Bodetti
Roberto Bodetti

Publicado em 20/07/2022 às 20:06.

Última atualização em 21/07/2022 às 10:08.

O TradersClub (TRAD3) comunicou ao mercado nesta quarta-feira, 20, a aquisição de parte da Galícia Educação, uma escola de gestão.

O investimento foi no montante de R$ 2 milhões com a possibilidade de aumento para R$ 2,5 milhões após a conclusão dos documentos definitivos, que está prevista para para até o dia 31 de agosto de 2022.

Sobre a Galicia Educação

A Galicia Educação foi fundada em 2020 por um grupo de executivos de mercado e possui uma presença forte no EAD.

É uma instituição com atuação em três áreas principais: gestão, coaching e aprendizagem no metaverso e realidade virtual.

De acordo com o fato relevante divulgado pela TradersClub, a estratégia do investimento é fortalecer a sua área educacional, trazendo maior diversidade de conteúdos e explorando novas formas de ensino, como cursos profissionalizantes, certificações, graduações e MBAs.

A TC afirma que a parceria trará um crescimento da sua base de clientes, assim como uma variedade maior de conteúdos disponíveis para essa mesma base.

Parte do conteúdo já existente e o que ainda será criado pela parceria entre a as companhias estará disponível tanto na plataforma da TC quanto na da Galícia Educação.

Resultados da TradersClub (TRAD3) no primeiro trimestre

Nos três primeiros meses do ano, a companhia registrou uma receita líquida de R$ 25,4 milhões, um crescimento de 75,9% se comparado no ano a ano.

Houve um prejuízo líquido de R$ 9,4 milhões, uma variação de cerca de 6.000% em comparação com o mesmo período de 2021.

Os lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda ajustado) da TC também sofreram uma retração no primeiro trimestre do ano, marcando um Ebtida negativo em R$ 11,9 milhões, com uma margem de -46,8%.