Hoje é o Fibonacci Day: conheça o matemático da Idade Média que inspira os day traders

A famosa 'Sequência de Fibonacci', criada a partir de estudos sobre reprodução de coelhos, é hoje um dos pilares das operações do mercado financeiro
Leonardo Pisano Fibonacci (Poste Italiane/Exame)
Leonardo Pisano Fibonacci (Poste Italiane/Exame)
Carlo Cauti
Carlo CautiPublicado em 23/11/2022 às 14:53.

O mercado financeiro é um dos setores mais avançados, modernos e tecnológicos da economia de qualquer país. Em milésimos de segundo são transacionados bilhões, realizadas operações extremamente complexas e construído (ou perdido) imensas fortunas.

Entretanto, mesmo um âmbito tão vanguardista como esse se baseia em um conceito tão simples quanto fundamental: a "Sequência de Fibonacci". Uma regra matemática que prevê que cada número seja igual a soma dos dois anteriores.

Por isso que hoje, 23 de novembro, ou 11-23 no estilo anglo-saxão de escrever as datas, foi proclamado como "Fibonacci Day". O dia que respeita perfeitamente a Sequência de Fibonacci foi dedicado ao gênio matemático italiano da Idade Média Leonardo Pisano, conhecido como o Fibonacci.

A Sequência de Fibonacci, por quanto possa parecer uma operação matemática básica, é um dos pilares do Day Trade. Uma das regras básicas que aparecem entre as primeiras páginas de qualquer manual do trader. Tão famosa, que seu criador se tornou um dos "patronos" dos operadores do mercado financeiro.

Quem foi Leonardo Pisano, o Fibonacci?

Considerado um dos maiores matemáticos de todos os tempos, não há muitas informações claras sobre a vida de Fibonacci. Nascido por volta de 1170 na cidade de Pisa, na Toscana, era filho de Guglielmo Bonacci (por isso foi chamado em latim de filius Bonaccii, de onde surgiu Fibonacci), empresário do setor mercantil. Desde cedo seguiu o pai em inúmeras viagens entre o Oriente Médio e a África do Norte, visitando as então colônias comerciais pisanas.

Durante uma permanência na colônia de Bugia, na Argélia, começou a aprender matemática árabe - então desconhecida na Europa medieval, que usava ainda números romanos - e voltando de suas viagens escreveu o Liber Abbaci, obra fundamental que teve um enorme sucesso, à qual devemos a difusão dos números árabes no mundo Ocidental e do próprio conceito do zero.

Também devemos a Fibonacci o "número de ouro": 1,618. Um valor presente em muitas realidades naturais, das conchas dos moluscos até as espirais das galáxias, dos marfins dos elefantes até as músicas de Bach, das obras de Leonardo da Vinci até a fachada do Partenão de Atenas, até as oscilações do mercado financeiro.

Mas a obra mais famosa de Fibonacci, sua "Sequência", surgiu após um estudo sobre a reprodução dos coelhos. O gênio matemático italiano percebeu que um casal de pequenos mamíferos se tornam férteis a partir do segundo mês de vida. Depois de produzir o primeiro filhote, o número de coelhos sará 3. Mas depois do segundo filhote haverá dois casais. E iniciando essa sequência, segundo esse cálculo, após um ano haverá 233 pares de coelhos. Um resultado que mostra perfeitamente a Sequência de Fibonacci: 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55 e assim por diante.

Hoje a Sequência de Fibonacci é utilizada diariamente por day traders do mundo inteiro, além de ser a base de muitas inovações modernas, desde estudos demográficos até o desenvolvimento de códigos de barras e QRCodes.