Primeiro cartão de cripto que não gasta moedas dos clientes é anunciado

A Nexo, especialista em empréstimo de cripto, anunciou em parceria com a Mastercard, o primeiro cartão de crédito de cripto que usa uma linha de crédito com lastro nos ativos digitais
Diferente de outros cartões, não existe um limite no quanto se pode gastar ou sacar da linha de crédito (boonchai wedmakawand/Getty Images)
Diferente de outros cartões, não existe um limite no quanto se pode gastar ou sacar da linha de crédito (boonchai wedmakawand/Getty Images)
Por Gabriel MarquesPublicado em 13/04/2022 16:42 | Última atualização em 13/04/2022 16:42Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Nexo, especialista em empréstimos de criptoativos, anunciou uma parceria coma a Mastercard para lançar o primeiro cartão de crédito de criptoativos que não gasta as moedas do usuário. Disponível no começo somente em alguns países europeus, o cartão usa as moedas do cliente como colaterais para assegurar o crédito garantido.

O cartão, emitido pela DiPocket, é conectado a uma linha de crédito da própria Nexo com lastro em criptomoedas, e permitirá gastos de até 90% do valor total dos ativos do cliente em moeda fiduciária. A empresa adiciona que o cartão poderá ser usado em todos os estabelecimentos que aceitem cartões da Mastercard no mundo, mais de 92 milhões.

Diferente de outros cartões, não existe um limite no quanto se pode gastar ou sacar da linha de crédito, e os juros são pagos somente sobre a quantidade utilizada. Eles se mantém a 0% para aqueles que mantém o nível empréstimo-valor fiduciário abaixo de 20%. “O cartão não precisa de pagamentos mínimos, mensais ou taxas por inatividade. Também não existem tarifas para transações internacionais de até €20.000 por mês”, disse a Nexo à Reuters.

(Future of Money/Laatus/Divulgação)

“A Mastercard reconhece que os ativos digitais estão revolucionando o espaço financeiro”, completou Raj Dhamodharan, head de cripto e produtos de blockchain da bandeira.

O movimento é mais um passo na adoção de cripto por grandes processadores de pagamento. No início dessa semana, foi revelado que a própria Mastercard pediu o registro de 15 patentes ligadas ao metaverso e a pagamentos dentro do mundo virtual. Outro desses pedidos detalhava planos para arquivos de música baixáveis com lastro em NFTs, assim como arquivos de mídia como artes digitais, textos, áudios e vídeos.

“Estamos continuamente procurando por oportunidades de entregar experiências novas e únicas para nossos usuários. Esses pedidos são simplesmente parte desse esforço, garantindo que a proteção de nossas marcas registradas se alastre para o metaverso”, disse um porta-voz da empresa à Insider.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok