Future of Money

Estudantes brasileiros vencem hackathon da Solana e ganham mais de R$ 50 mil em prêmios

Cinco alunos do Inteli conquistam o prêmio na categoria universitária do Solana Renaissance Hackathon, evento que busca revelar projetos inovadores de alto impacto do ecossistema da rede

 (Getty/Getty Images)

(Getty/Getty Images)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 10 de maio de 2024 às 09h37.

Tudo sobreBlockchain
Saiba mais

Cinco alunos do Inteli (Instituto de Tecnologia e Liderança) foram os vencedores da categoria "The University Award" do Solana Renaissance Hackathon com um projeto que ambiciona revolucionar o mercado de energia para veículos elétricos através da descentralização de matrizes energéticas.

Batizada como DeVolt, a solução idealizada por Henrique Marlon, Emanuele Moraes, Paulo Evangelista, Matheus Macedo e Marcelo Feitoza tem como foco facilitar o acesso a estações de carregamento de veículos elétricos.

Segundo os desenvolvedores, a DeVolt permite que indivíduos e empresas deixem de ser apenas consumidores, mas também produzam, gerenciem e vendam energia elétrica de maneira segura e transparente, por meio do blockchain da Solana.

Em entrevista concedida ao Cointelegraph Brasil, Henrique Marlon revelou que a inspiração para o projeto veio da experiência de Emanuele Moraes como estagiária da mesa de energia do Banco BTG Pactual. Ela identificou que a falta de liquidez é um dos grandes gargalos do mercado de energia no Brasil.

O grupo foi formado com o intuito de criar soluções para esse problema, reunindo integrantes do Clube de Blockchain da Inteli. Inicialmente, o projeto surgiu com a proposta de criar um mercado de balcão para o setor energético, mas acabou voltando-se para uma solução focada no carregamento de veículos elétricos.

Os estudantes identificaram uma lacuna entre a quantidade de estações de carregamento no Brasil, apesar da crescente expansão da frota de veículos elétricos, e projetaram a criação de um ecossistema de energia descentralizado e acessível, baseado em incentivos financeiros. O primeiro protótipo do projeto foi criado no início deste ano, e a versão 2 foi desenvolvida durante o hackathon da Solana, encerrado na segunda-feira, 6 de maio.

A solução

A versão 2 da DeVolt premiada no hackathon promovido pela Solana Foundation permite que indivíduos e empresas instalem e operem suas próprias estações de carregamento e vendam energia no mercado aberto. Assim, a DeVolt não só expande a rede de carregamento em todo o país, mas também fomenta o uso de matrizes energéticas renováveis e incentiva a transição da frota de automóveis movidos por combustíveis fósseis para veículos elétricos.

Para estimular a expansão desse mercado, a DeVolt emprega uma lógica de leilão reverso para a precificação da energia, que se ajusta dinamicamente conforme a oferta e a demanda. Em uma estrada remota, com poucas estações de carregamento disponíveis, o preço da energia tende a ser maior devido à menor oferta, ao contrário de áreas urbanas onde a concentração de estações tende a gerar preços mais competitivos, explica Marlon:

"Essa estratégia não apenas garante eficiência econômica, mas também incentiva o desenvolvimento de infraestrutura onde ela é mais necessária, beneficiando tanto os usuários quanto os operadores da rede."

Os estudantes do Inteli receberam um prêmio de US$ 10.000 em USDC por terem vencido o "The University Award." A competição global reuniu 8.300 projetos desenvolvidos por estudantes de 95 países, representando a "nova onda de projetos de alto impacto" do ecossistema da Solana.

Os desenvolvedores brasileiros têm se destacado em hackathons globais há algum tempo. Conforme noticiou o Cointelegraph Brasil, em março o projeto de carteira de criptomoedas baseada em contratos inteligentes Chainless, da Notu Labs, foi premiado em um hackaton promovido pela Avalanche.

Sabia que você pode investir em Bitcoin, ether, Solana e muitas outras moedas digitais direto no app da Mynt? Comece com R$ 100 e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Clique aqui para abrir sua conta gratuitamente.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:BlockchainCriptoativosCriptomoedas

Mais de Future of Money

Bitcoin ou ether: o que comprar após forte queda das criptomoedas?

Empresa brasileira usa tokenização para permitir investimentos em hits do piseiro

União Europeia vai apoiar projeto que usa blockchain para criar soluções de sustentabilidade

ETFs de Ethereum podem atrair US$ 10 bilhões e levar cripto à máxima histórica, diz analista

Mais na Exame