Future of Money

Número de novas carteiras de bitcoin atinge menor nível desde 2018

Queda na criação de novos endereços na rede da criptomoeda repete movimento entre investidores após recorde de preço

Bitcoin teve novo halving no dia 19 de abril (Reprodução/Reprodução)

Bitcoin teve novo halving no dia 19 de abril (Reprodução/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 20 de maio de 2024 às 12h00.

O número de novos endereços na rede do bitcoin atingiu na última quinta-feira, 16, o menor nível desde 2018. Os dados, reunidos pela empresa The Block, levam em conta a média dos últimos sete dias encerrados na data de referência e refletem um movimento que já aconteceu anteriormente com a criptomoeda.

O The Block aponta que o número de novos endereços criados no blockchain da criptomoeda chegou a ter uma leve alta após o recorde negativo na semana passada. No domingo, 19, a média dos últimos sete dias subiu para 277 mil novos endereços. Entretanto, o número ainda está distante dos 625 mil registrados há seis meses.

Por outro lado, a queda no número de novos endereços na rede não é exatamente um fenômeno novo. Exatamente em 2018, quando a então mínima foi registrada, a queda ocorreu pouco depois do bitcoin registrar o seu então recorde de preço, na casa dos US$ 20 mil.

O então preço histórico foi atingido no final de 2017, com uma queda subsequente nos meses seguintes de 2018. Já em 2021, quando a criptomoeda atingiu o preço recorde de US$ 69 mil, o projeto não chegou a registrar uma queda significativa no número de novos endereços.

Entretanto, o fenômeno se repetiu em 2024. O bitcoin atingiu em março deste ano novas máximas históricas, firmando um novo preço recorde de US$ 73 mil. Desde então, porém, o número de novos endereços entrou em queda livre.

  • Uma nova era da economia digital está acontecendo bem diante dos seus olhos. Não perca tempo nem fique para trás: abra sua conta na Mynt e invista com o apoio de especialistas e com curadoria dos melhores criptoativos para você investir.  

O The Block destacou que, em novembro de 2023, a rede chegou a registrar o maior número de novos endereços diários criados desde 2017, refletindo uma grande expectativa dos investidores em torno da aprovação de ETFs da criptomoeda - que foram lançados em janeiro deste ano - e pelo halving do ativo.

O halving acabou ocorrendo em abril de 2024 e foi acompanhado, ainda, do lançamento de um novo projeto na rede do bitcoin, o Runes. À época, alguns analistas chegaram a acreditar que as novidades poderiam manter um interesse pela rede entre os usuários, evitando quedas nos números de novos endereços.

Entretanto, a avaliação do The Block é que "o fervor em torno dos novos projetos do Bitcoin acabou morrendo", resultando na queda observada ao longo das últimas semanas.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Como um DJ famoso ganhou (e perdeu) milhões de dólares com NFTs

Após ETFs, o que vai ser do ether em junho? Especialista revela 3 previsões

Dado mostra economia dos EUA ainda aquecida: o que isso significa para o bitcoin e as criptomoedas?

Criador da Ethereum critica criptomoedas meme de celebridades

Mais na Exame