Criptomoedas em queda: bitcoin tem maior perda dos últimos dois meses e ethereum despenca 8%

As principais criptomoedas do mercado decepcionam investidores e encerram a semana útil em forte queda após o anúncio de dados econômicos dos EUA
 (SOPA Images/Getty Images)
(SOPA Images/Getty Images)
M
Mariana Maria Silva

Publicado em 19/08/2022 às 10:51.

Última atualização em 19/08/2022 às 10:51.

Nesta sexta-feira, 19, o mercado de criptomoedas encerra a semana amargando perdas relevantes. Com 8,3% a menos em capitalização, o mercado ameaça perder o patamar de US$ 1 trilhão. O volume de negociações é de US$ 99 bilhões, segundo o CoinGecko. Em meio ao cenário ruim, o bitcoin sofre sua maior queda nos últimos dois meses.

Cotado em US$ 21.540, a maior criptomoeda do mundo perde 8,6% nas últimas 24 horas, de acordo com dados do CoinGecko. No comparativo semanal, o bitcoin apresenta queda de 9,6%. Na última segunda-feira, 15, a cripto chegou a ultrapassar os US$ 25 mil, causando otimismo em investidores.

(Mynt/Divulgação)

“O ativo caiu cerca de 13% desde a sua maxima na segunda, quando rompeu os US$25 mil apenas para cair novamente, passando pelos 24 mil, valor que era intepretado por muitos como um suporte de preço. A baixa assustou investidores que confiavam numa recuperação após pequenas altas no final da tarde de quinta-feira”, comentou Thiago Rigo, analista da Titanium Asset Management.

O Índice de Medo e Ganância, que mede o sentimento do mercado cripto, também demonstra medo por parte de investidores. Em 30 pontos, a métrica chegou a atingir marca “neutra” no início da semana pela primeira vez desde abril, mas não se manteve.

Além do bitcoin, a segunda maior criptomoeda do mundo também apresenta queda significativa nesta sexta-feira, 19. O ether, nativo da rede Ethereum, é cotado em US$ 1.701 e cai 8,7% nas últimas 24 horas, depois de ter atingido US$ 2 mil durante a semana, de acordo com dados do CoinMarketCap.

As expectativas para uma importante atualização na rede Ethereum parecem ter esfriado, ou se tornado menos otimistas à medida que grandes empresas e projetos se dividem sobre o assunto. No próximo 15 de setembro, o blockchain que abriga a segunda maior criptomoeda passará por uma mudança no mecanismo que utiliza para validar suas transações. Conhecida como “The Merge”, a atualização fará com que a rede passe a economizar 99% de energia, se tornando mais sustentável.

Apesar disso, a criptomoeda Ethereum Classic, que se beneficiava a partir daqueles que eram contra a mudança na rede Ethereum, também cai 15% nesta manhã, de acordo com dados do CoinMarketCap.

Outras criptomoedas entre as 20 maiores por capitalização de mercado apresentam queda acima de dois dígitos:

• Cardano (ADA): - 13,24%
• Solana (SOL): - 11,08%
• Polkadot (DOT): - 11,75%
• Avalanche (AVAX): - 12,78%
• Polygon (MATIC): - 12,92%
• Uniswap (UNI): - 12,89%

“A queda das cotações mostra a forte correlação que as cripto ainda tem com o cenário macro, já que, desde a liberação da ata da FOMC, que mostrou que o Fed não tem medo de avançar a alta de juros, o preço das cripto tem se mantido numa tendência de baixa, que deve perdurar enquanto o mercado digere a informação. O que se sabe até agora é que o mercado de ativos digitais teme novas altas de juros e qualquer iniciativa do Banco Central norte-americano nesse sentido tem conseguido segurar a cotação das principais moedas”, explica Thiago Rigo, da Titanium Asset Management.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok