Criptomoedas disparam após anúncio de aumento de 0,75% na taxa de juro dos EUA

Historicamente negativo para o mercado de ativos de risco, aumento na taxa de juro gera preocupações quanto a uma possível recessão e alta para as criptomoedas
Jerome Powell, presidente do Fed (Kevin Lamarque/Reuters)
Jerome Powell, presidente do Fed (Kevin Lamarque/Reuters)
M
Mariana Maria Silva

Publicado em 27/07/2022 às 15:58.

Última atualização em 27/07/2022 às 16:35.

O mercado de criptomoedas teve um dia movimentado nesta quarta-feira, 27. Isso porque as expectativas de que o banco central americano aumentaria a taxa de juro do país em 0,75% em mais uma superquarta estavam corretas. Precificando a notícia desde o início do dia, a capitalização das criptomoedas subiu 5,8%, de acordo com dados do CoinGecko. O bitcoin, a principal criptomoeda, sobe 7,8% nas últimas 24 horas.

Apenas em 2022, já é a segunda vez que a reunião do Comitê Federal do Mercado Aberto (FOMC) conhecida como “superquarta” decide pelo aumento de 0,75%, algo praticamente inédito na economia do país.

A decisão se soma ao aumento de 0,75% do último mês de junho, que se caracterizou como a maior elevação dos últimos 28 anos. A medida busca conter a inflação, que é a maior no país nos últimos 40 anos.

(Mynt/Divulgação)

No entanto, a decisão já era muito aguardada por investidores e especialistas do mercado financeiro. Com isso, ainda que o aumento seja historicamente o prelúdio de um movimento de aversão ao risco, não houve um impacto imediato para as criptomoedas. O setor já vinha precificando a notícia com antecedência, segundo Thaís Almeida, analista da Titanium Asset Management.

“Com o aumento sendo parte do ciclo de aperto monetário, que está tentando minar a liquidez na maior economia do mundo, a precificação por parte do mercado é inevitável, mesmo não sendo esse o único driver de pressão sobre o mercado cripto”, afirmou.

De acordo com Thaís, além do aumento na taxa de juro, fatores geopolíticos como o corte no fornecimento de gás à Europa por parte da Rússia podem fortalecer o dólar e reduzir ainda mais o apetite de investidores por ativos de risco.

Desde o importante anúncio, o preço do bitcoin subiu 3,6% e do ether, a criptomoeda nativa da rede Ethereum, 5%. No momento, ambas são cotadas a US$ 22.048 e US$ 1.549, respectivamente, de acordo com dados do CoinGecko.

O sentimento do mercado aparenta ter melhorado quanto aos ativos digitais. Considerado por muitos como uma alternativa à inflação, o bitcoin gera debate entre especialistas. O CEO da Binance, a maior corretora cripto em valor de mercado, defendeu:

“Pesquise sobre recessão, aprenda sobre inflação, e então pesquise sobre o bitcoin e a BNB”, publicou o “CZ” no Twitter. BNB é o nome da criptomoeda da corretora, que sobe 9,9% nas últimas 24 horas.

Já Felipe Medeiros, analista e sócio da Quantzed Criptos, acredita que a inflação pode estar recuando, o que também seria positivo para as criptomoedas. "O mercado reagiu bem após o Fed seguir as expectativas e elevar a taxa de juros em 0,75%. O bitcoin se recuperou e quase anulou a queda dos últimos dois dias. É positivo para todo o mercado que o Fed reconheça que a inflação esteja recuando. Isso tira pressão sobre ativos de tecnologia, o que favorece o bitcoin e todo mercado cripto. Além de subir 0,75%, o Fed também sinalizou que pode reduzir a força dos próximos aumentos", comentou.

O Índice de Medo e Ganância do setor também demonstrou uma redução no grande pessimismo dos últimos meses. Em 28 pontos, o índice sai do “medo extremo” para “medo”, e é muito utilizado por investidores como um auxílio na tomada de decisão.

Outras entre as maiores criptomoedas do mundo por capitalização de mercado se destacam por suas altas nesta quarta-feira. São elas:

• Cardano: +8,3%
• Solana: +11,3%
• Polkadot: +9,2%
• Polygon: +17,2%
• Avalanche: +14,8%

De acordo com Thaís Almeida, analista da Titanium Asset Management, momento de incerteza no mercado cripto pode ter desfecho positivo. “A turbulência atual do mercado está levando a uma supervisão regulatória cada vez maior do setor, com grandes players no segmento de exchanges sendo colocados sob os holofotes. Cedo ou tarde o mercado cripto será mais regulado e o potencial positivo disso é gigantesco. Segurança ao investidor será o maior fruto desse processo”, afirmou.

Quanto ao bitcoin e o ether, as duas principais criptomoedas do mercado, novas altas podem estar por vir. É o que pensa Felipe Medeiros:

"Descartada uma surpresa negativa, nos próximos dias, deveremos ver uma recuperação até os US$ 24 mil no bitcoin. O ether deve ter uma performance superior ao bitcoin e se aproximar dos US$ 2 mil, de acordo com a atualização conhecida como “The Merge”, que fica cada vez mais próxima e começa a ser precificada".

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok