Esporte
Acompanhe:

Tite assina rescisão na CBF e não é mais técnico da seleção brasileira

O ex-treinador do escrete canarinho não quis gravar entrevistas, agradeceu aos jornalistas e disse que quem estava ali era o Adenor e não o Tite

Tite: treinador comandou a equipe masculina por seis anos e meio (CBF/Flickr)

Tite: treinador comandou a equipe masculina por seis anos e meio (CBF/Flickr)

A
Agência Brasil

17 de janeiro de 2023, 18h28

Adenor Leonardo Bachi e Tite continuam a mesma pessoa, mas nenhum dos dois é mais o técnico da seleção brasileira. O gaúcho de 61 anos havia avisado que deixaria o comando da equipe após a Copa do Catar e compareceu nesta terça-feira, 17, à sede da CBF, no Rio de Janeiro, para rescindir o contrato. O treinador permaneceu seis anos e meio no cargo.

O ex-treinador do escrete canarinho não quis gravar entrevistas, agradeceu aos jornalistas e disse que quem estava ali era o Adenor e não o Tite.

Apesar de fracassar nas duas Copas em que dirigiu o Brasil, Tite teve um aproveitamento de 80%. Foram 81 jogos, com 60 vitórias, 15 empates e seis derrotas. Neste período, também conquistou a Copa América de 2019.

Com o fim oficial da era Tite, o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, promete anunciar o novo treinador da seleção até o fim deste mês. A entidade gostaria de um nome estrangeiro e o português Abel Ferreira, atual técnico do Palmeiras, está entre os mais cotados. Entre os brasileiros, Dorival Júnior — sem clube no momento depois de deixar o Flamengo — e o tricolor carioca Fernando Diniz também estão entre os possíveis substitutos de Tite.

LEIA TAMBÉM: