ONU: países endossam resolução para acabar com poluição plástica

A resolução estabelece um Comitê Intergovernamental de Negociação que começará seus trabalhos este ano
Até 2050, as emissões de gases de efeito estufa associadas à produção, uso e descarte de plásticos seriam responsáveis por 15% das emissões permitidas, sob o objetivo de limitar o aquecimento global a 1,5ºC, de acordo com o Acordo de Paris, diz a ONU. (Daisy-Daisy/Thinkstock)
Até 2050, as emissões de gases de efeito estufa associadas à produção, uso e descarte de plásticos seriam responsáveis por 15% das emissões permitidas, sob o objetivo de limitar o aquecimento global a 1,5ºC, de acordo com o Acordo de Paris, diz a ONU. (Daisy-Daisy/Thinkstock)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 02/03/2022 às 21:59.

Representantes de 175 países da Organização das Nações Unidas (ONU) endossaram nesta quarta-feira, 2, uma resolução para acabar com a poluição plástica e forjar um acordo internacional juridicamente vinculativo até o final de 2024. Em comunicado, a organização lembra que os impactos da produção e poluição de plástico na crise das mudanças climáticas, perda da natureza e poluição "são uma catástrofe em formação".

De acordo com a ONU, a exposição a plásticos prejudica a saúde humana e potencialmente afeta a fertilidade, e as atividades hormonal, metabólica e neurológica, enquanto a queima a céu aberto de plásticos contribui para a poluição do ar. A poluição plástica subiu de dois milhões de toneladas em 1950 para 348 milhões de toneladas em 2017, tornando-se uma indústria global avaliada em US$ 522,6 bilhões, com expectativa de dobrar de capacidade até 2040, segundo o comunicado.

Até 2050, as emissões de gases de efeito estufa associadas à produção, uso e descarte de plásticos seriam responsáveis por 15% das emissões permitidas, sob o objetivo de limitar o aquecimento global a 1,5ºC, de acordo com o Acordo de Paris, diz a ONU.

A resolução estabelece um Comitê Intergovernamental de Negociação que começará seus trabalhos este ano, com o objetivo de concluir um projeto de acordo juridicamente vinculativo até o final de 2024.

De forma inédita, usina de energia solar é registrada no blockchain