Delta usará combustível sustentável em voos com executivos do BTG

Banco e companhia aérea fazem parceria para incentivar o uso do SAF, combustível que reduz as emissões de carbono em até 80%
 (Elijah Nouvelage/Bloomberg)
(Elijah Nouvelage/Bloomberg)
Por Rodrigo CaetanoPublicado em 22/11/2021 12:45 | Última atualização em 22/11/2021 18:16Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O banco BTG Pactual (do mesmo grupo que controla a EXAME) e a companhia aérea americana Delta Air Lines, fecharam um acordo para o uso de combustível sustentável nas viagens corporativas feitas pelos executivos da instituição financeira.

Pela parceria, quando BTG comprar uma passagem aérea da Delta, o voo será realizado com o combustível sustentável (a empresa irá comprar uma quantidade equivalente e abastecer sua frota, não necessariamente o mesmo avião utilizado pelo executivo do banco, e a depender da disponibilidade). A companhia aérea já tem acordos similares nos Estados Unidos. A parceria com o BTG é a primeira na América Latina.

Tenha um aprendizado 360º e adquira dois certificados sobre ESG, tema cada vez mais em alta.

"Incentivamos mais empresas brasileiras e latino-americanas a se juntarem a nós nessa jornada em direção a um mundo em que possamos viajar de forma sustentável e em que todos possam fazer um pouco mais pelo meio ambiente e pela comunidade onde vivem e à qual atendem", afirma Luciano Macagno, diretor-executivo da Delta na América Latina.

As viagens aéreas representaram 35% das emissões do BTG em 2019 e 15% em 2020. Nos dois anos, o banco compensou tanto as emissões diretas quanto as indiretas das viagens. Em 2020, mais um grande passo foi dado para compensar a pegada de carbono, incluindo também a compensação pela emissão de escritórios de agentes autônomos ligados ao BTG", afirma Rafaella Dortas, diretora de ESG do BTG Pactual.

O combustível de aviação sustentável, conhecido pela sigla em inglês SAF, é produzido à base de resíduos orgânicos, como óleo de cozinha. Em comparação ao uso do petróleo, o SAF reduz em até 80% as emissões de carbono. O problema está no custo, o triplo do combustível fóssil, e a disponibilidade, insuficiente para atender todas as viagens.

Lidar com o universo ESG faz parte da sobrevivência de empresas e profissionais de sucesso no mercado. Saiba mais sobre o tema.