Brastemp contraria marcas que associam eletrodomésticos às mães

Em campanha no Mês das Mães, Brastemp conta que as mulheres passam quatro anos de sua vida lavando roupas e lança máquina fictícia com objetivo de reforçar que a tarefa é de todos
 (Brastemp/Reprodução)
(Brastemp/Reprodução)
Por Marina FilippePublicado em 05/05/2021 12:17 | Última atualização em 05/05/2021 12:26Tempo de Leitura: 4 min de leitura

As mulheres são majoritariamente responsáveis pelas tarefas domésticas, e carregam as pressões da sociedade para o cuidado com o lar e a família. Segundo pesquisa do IBGE de 2020, as mulheres dedicam o dobro do tempo do que os homens aos afazeres domésticos. Além disso, o Fundo Monetário Internacional estima que o produto interno bruto global cresceria pelo menos 4% se o trabalho não remunerado fosse mais bem distribuído. Dentro desse contexto, a Brastemp apresenta a discussão da equidade na sua nova campanha.

As melhores oportunidades podem estar nas empresas que fazem a diferença no mundo. Veja como com a EXAME Invest Pro 

Aproveitando maio, conhecido por ser o Mês das Mães, a Brastemp reforça que tarefa doméstica é tarefa de todos. A campanha é criada pela FCB em parceria com a consultoria Think Eva, que tem como objetivo incentivar a divisão equânime das tarefas domésticas entre homens e mulheres.

Com ativação no ambiente digital e em televisão, a Brastemp puxa a conversa a partir de um dado inédito, levantado pela Think Eva a pedido da marca, que revela que as mulheres passam em média quatro anos de sua vida lavando roupas. Tempo que homens dedicam ao seu desenvolvimento pessoal, profissional, ao lazer e ao descanso.

“Dia das Mães é uma das grandes datas do ano para o varejo, isso é legítimo. Porém, quando falamos de eletrodomésticos, tradicionalmente as marcas e o segmento associam a imagem de eletrodomésticos com a figura materna, reforçando o estereótipo e a cultura do cuidado com o lar à data e à mulher, o que nos dias de hoje é um retrocesso. Nossa campanha vai justamente no caminho oposto: levanta uma discussão na sociedade que fala de uma pauta tão urgente e necessária, que é promover a equidade no trabalho doméstico. Meu sonho é que daqui a alguns anos nenhuma marca de eletrodomésticos sugira seus produtos de presente para as mães e que tarefa de casa vire tarefa de todos”, afirma Allyne Magnoli, diretora de marketing da Whirlpool.

Para aumentar a conscientização sobre o cenário, a Brastemp estende o debate também para o produto, “lançando” uma máquina de lavar roupas fictícia com o nome “Brastemp Edição Compartilhada”. O lançamento do produto tem como objetivo reforçar que lavar as roupas é uma atividade de todos — e não apenas das mulheres.

O vídeo também reforça que tarefa de casa é tarefa de todos, independentemente da configuração familiar. Por isso, a Brastemp escolheu cuidadosamente seu casting de atores trazendo diversidade para esse vídeo que mostra: um casal 60+, um casal em que a mulher é transgênero, uma família negra angolana e uma mãe e um filho brancos.

"Estamos desde o ano passado estudando a Economia do Cuidado e nos traz esperança que uma marca do tamanho e abrangência da Brastemp assuma seu papel nesta discussão. O trabalho invisível de cuidado precisa ser de todos e poder trazer este tema, aliado ao nosso olhar estratégico de marca, para a campanha nos deixou confiantes de que alguma mudança seja possível", diz Maíra Liguori, cofundadora da consultoria.

A campanha tem um desdobramento na televisão, com uma discussão nos programas Papo de Segunda e Saia Justa, do canal GNT e um braço também no digital. Toda a ação com influenciadores foi desenvolvida pela FCB Brasil em parceria com a Mfield.

“Abordar a economia do cuidado em uma campanha é uma forma de assumirmos esse papel de influenciadores e colocarmos mais luz em um tema que é muito caro às mulheres há muito tempo”, comenta Anna Martha, diretora executiva de criação da FCB Brasil.