ESG

Apoio:

logo_suvinil_500x252
Logo TIM__313x500
logo_unipar_500x313
logo_espro_500x313
logo_engie_500X252

Parceiro institucional:

logo_pacto-global_100x50

BID quer lançar 'bonds amazônicos' no segundo semestre, diz Ilan Goldfajn, presidente do banco

Modelo funcionará como uma green bond, título de dívida que financia projetos de sustentabilidade. O projeto ainda avalia os instrumentos que estarão inseridos no título e a demanda do mercado

Ilan Goldfajn, presidente do BID: "É um desejo global trabalhar na Amazônia, vemos uma demanda de todo o mundo para inserir projetos sustentáveis aqui” (BID/Divulgação)

Ilan Goldfajn, presidente do BID: "É um desejo global trabalhar na Amazônia, vemos uma demanda de todo o mundo para inserir projetos sustentáveis aqui” (BID/Divulgação)

Letícia Ozório
Letícia Ozório

Repórter de ESG

Publicado em 13 de junho de 2024 às 14h48.

O presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Ilan Goldfajn, anunciou que pretende lançar “bonds amazônicos” no segundo semestre desse ano. A modalidade de investimento funcionaria como um papel de dívida para financiamento. O objetivo é que a partir da compra dos títulos o banco possa captar recursos e financiar projetos de desenvolvimento sustentável na região.

De acordo com Goldfajn, o modelo funcionará como uma green bond, título de dívida que financia projetos de sustentabilidade. O projeto ainda avalia os instrumentos que estarão inseridos no título e a demanda do mercado para a área, que o presidente acredita ser positiva. “O diferencial é garantir que os recursos parem na região, desenvolvendo o bioma e os negócios por lá. É um desejo global trabalhar na Amazônia, vemos uma demanda de todo o mundo para inserir projetos sustentáveis aqui”, conta.

Apesar de ainda não ter todas as informações definidas, Goldfajn contou que o projeto ainda está em fase de construção, definindo taxonomia e as formas de emissão, mas apontou que cada país que compartilha do território da Amazônia poderá emitir os títulos nos seus próprios critérios.

“Diferente de hoje, que existem bonds sustentáveis ou green bonds, que são mais gerais, os bonds amazônicos vão poder focar no bioma. Vamos usar o instrumento financeiro que existe hoje e que pode ser usado e testado”, explica o presidente.

Os bonds serão um trabalho do BID com o Banco Mundial.

Acompanhe tudo sobre:Banco Interamericano de DesenvolvimentoIlan Goldfajn

Mais de ESG

Trauma climático, capital e investimento privado

Muita água e gente com sede: o paradoxo vivido pelo Amazonas com as mudanças climáticas

Existe uma alternativa de baixo impacto ambiental para desenvolvimento da geração hidrelétrica?

Urgência climática não sensibiliza países ricos e ajuda para fundo de perdas e danos empaca

Mais na Exame