Petrobras reduz preço do gás de cozinha em 5,58%

Segundo comunicado da petroleira, os novos valores passam a vigorar a partir de sábado, 9
Petrobras: nos últimos 12 meses, o gás de cozinha para o consumir acumulou alta de quase 30% (Pedro Ventura/agencia brasilia/Divulgação)
Petrobras: nos últimos 12 meses, o gás de cozinha para o consumir acumulou alta de quase 30% (Pedro Ventura/agencia brasilia/Divulgação)
Por Da RedaçãoPublicado em 08/04/2022 15:21 | Última atualização em 08/04/2022 19:31Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira, 8, que vai diminuir a partir deste fim de semana o preço do GLP, usado no gás de cozinha.

O preço médio de venda do GLP às distribuidoras da Petrobras passará de R$ 4,48 para R$ 4,23 por kg. O valor é equivalente a R$ 54,94 para 13 kg, total do botijão de cozinha. 

A redução média por 13 kg é de R$ 3,27, ou de 5,58%, segundo a Petrobras, e os novos valores passam a vigorar neste sábado, 9.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Os valores cobrados pela Petrobras de suas distribuidoras refletem no custo final ao consumidor, além de outros fatores que compõem o preço, como tributação federal e estadual e custos de distribuição e revenda. 

A mudança vem menos de um mês após o último reajuste feito pela Petrobras no GLP, em 11 de março, quando o preço foi aumentado em 16,1%, nos valores da época.

A redução segue sendo menor em relação ao aumento de preço final ao consumidor constatado no mês de março: no período, o preço do gás de cozinha subiu 6,6% no IPCA, índice inflacionário divulgado pelo IBGE nesta sexta-feira.

Em 12 meses até março, o gás de cozinha acumula alta de 29,6%, muito acima da inflação do período, que foi de 11,3%.

Segundo pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio do botijão de gás de 13 kg ficou em R$ 113,63 no Brasil entre 27 de março e 2 de abril. 

Em nota, a Petrobras justifica a redução pela "evolução dos preços internacionais e da taxa de câmbio, que se estabilizaram em patamar inferior para o GLP, e coerente com a sua Política de Preços, a Petrobras reduzirá seus preços de venda às distribuidoras". 

A petroleira reiterou "seu compromisso com a prática de preços competitivos e em equilíbrio com o mercado, ao mesmo tempo em que evita o repasse imediato para os preços internos, das volatilidades externas e da taxa de câmbio causadas por eventos conjunturais".