Autoridades da China e dos EUA discutem negociações comerciais

Ministério do Comércio da China informa sobre diálogo com autoridades americanas sobre "temas econômicos e comerciais" e temas de interesse mútuo

Pequim - As autoridades da China e Estados Unidos discutiram nesta quarta-feira as negociações sobre a trégua de 90 dias que visa acabar com a guerra comercial entre os dois países, confirmou o Ministério do Comércio do país asiático.

Em um breve comunicado publicado em seu site oficial, o ministério, explicou o vice-ministro, conversou por telefone com seu colega americano sobre "temas econômicos e comerciais", com o objetivo de "falarem sobre problemas de interesse mútuo".

Embora a China não tenha divulgado quais propostas concretas foram discutidas durante a convocação e se algum tipo de acordo foi alcançado, este é um novo capítulo nas negociações entre as duas potências.

O presidente da China, Xi Jinping, e o mandatário americano, Donald Trump, fizeram um acordo com duração de 90 dias, durante um jantar, no dia 1º deste mês, realizado durante a cúpula do G20, em Buenos Aires.

Desde então, a China adotou várias medidas de boa vontade, como tarifas mais baixas em veículos importados dos Estados Unidos ou a retomada da compra de soja daquele país.

Por sua vez, Trump suspendeu o aumento de 10% a 25% das tarifas sobre produtos chineses no valor de US$ 200 bilhões.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.