A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Vacina contra gripe pode reduzir sintomas graves da covid, aponta estudo

Estudo com 75 mil pacientes com coronavírus encontrou menos sintomas graves entre as pessoas que tomaram o imunizante que protege contra a gripe

Pessoas vacinadas contra a gripe podem estar parcialmente protegidas contra alguns sintomas graves do novo coronavírus. É o que sugere estudo de pesquisadores da Universidade de Miami com 75 mil pacientes com covid-19. Os pesquisadores compararam os dados de 37.377 pessoas que receberam vacina contra a gripe, com os de outris 37.377 infectados com SARS-CoV-2 que não foram vacinados contra a gripe.

O mundo está mais complexo, mas dá para começar com o básico. Veja como, no Manual do Investidor 

A análise do estudo mostrou que entre aqueles que receberam a vacina contra a gripe houve redução significativa de sintomas como acidente vascular cerebral, trombose venosa profunda e infecções generalizadas, além de menor probabilidade de internação em UTI. 

Os resultados do estudo foram apresentados em uma reunião online da Sociedade Europeia de Microbiologia Clínica e Doenças Infecciosas. Segundo a pesquisa, pacientes com covid-19 que não foram vacinados contra a gripe apresentaram risco até 58% maior de terem um derrame e até 45% maior de sofrer infecções graves. Eles também eram mais propensos a serem internados em uma UTI.

Embora relacionada com a redução de sintomas graves da doença, a vacina contra a gripe não reduziu o número de mortes por covid-19.

“É muito importante enfatizar que recomendamos absolutamente a vacina contra covid-19 e de forma alguma sugerimos que a vacina contra a gripe seja um substituto”, disse Devinder Singh, autor do estudo e professor de cirurgia clínica da Universidade de Miami.

Outras pesquisas realizadas durante a pandemia também apontaram que a vacinação contra gripe pode causar alguma proteção contra o novo coronavírus.

O que explica o resultado do estudo?

Especialistas acreditam que a vacina da gripe contribui para uma melhora na defesa contra o SARS-CoV-2 por causa de um processo chamado de "imunidade treinada", que é ativado no organismo após a aplicação do imunizante.

Ao receber a vacina anualmente, o sistema de defesa do corpo é reforçado e desencadeia uma resposta pró-inflamatória aumentada, que é capaz de proteger contra outros tipos de patógenos. Isso já foi observado em crianças que, ao tomarem as vacinas BCG e do sarampo, conseguiram uma imunidade maior contra outros patógenos.

“Pode ser que a vacina contra a gripe estimule o sistema imunológico de forma não específica e tenha esse benefício, mas você sempre se pergunta se essas associações são causais ou se há um fator comum", disse o professor Peter Openshaw, membro do grupo de aconselhamento sobre ameaças de vírus respiratórios do Reino Unido em entrevista ao jornal The Guardian. Outra hipótese levantada por Openshaw é que pessoas que têm acesso à vacina da gripe tenham melhores índices de saúde no geral.

Vacinação contra gripe no Brasil

Ministério da Saúde ampliou no início de julho a campanha de vacinação contra a gripe para toda a população acima dos seis meses de idade. As secretarias estaduais e municipais de saúde estão definindo como funcionará a imunização nas cidades.

  • Quer saber tudo sobre o desenvolvimento e eficácia de vacinas contra a covid-19? Assine a EXAME e fique por dentro.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também