• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Triplicar vitamina D em crianças não ajuda os ossos nem reduz infecções

Um grupo de pesquisadores finlandeses realizou o que descreve como o maior e mais rigoroso estudo a este respeito com crianças
 (Reprodução/Bossa 67 via Wikimedia Commons)
(Reprodução/Bossa 67 via Wikimedia Commons)
Por AFPPublicado em 03/06/2018 11:47 | Última atualização em 03/06/2018 11:47Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Triplicar a dose de vitamina D em crianças não tem efeito sobre os ossos ou contra doenças infecciosas, de acordo com um grande estudo realizado na Finlândia.

A vitamina D é essencial para a absorção do cálcio. A pele a produz naturalmente quando exposta ao sol, mas a maioria das pessoas tem uma deficiência dessa vitamina, que chega a 40% entre os europeus.

Em crianças em pleno crescimento, essa deficiência pode ter consequências graves, como raquitismo. É por isso que os médicos recomendam suplementos de vitamina D para mulheres grávidas e crianças pequenas.

Mas a dose ideal e o efeito mais geral sobre a saúde permanecem um enigma, na medida em que os estudos realizados ao longo dos anos são contraditórios, não confiáveis, ​ou inconclusivos.

Um grupo de pesquisadores finlandeses realizou o que descreve como o maior e mais rigoroso estudo a este respeito com crianças de zero a dois anos de idade.

Durante um ano e meio, em 2013 e 2014, eles observaram quase 1.000 bebês saudáveis ​​nascidos em um hospital em Helsinque. Metade deles, selecionados aleatoriamente, receberam uma dose normal de suplemento de vitamina D a cada dois anos, ou seja, 400 unidades internacionais (UI), a unidade de medida de vitaminas. A outra metade recebeu 1.200 UI.

Aos 6, 12 e 24 meses, os pais forneceram um registro listando todas as doenças infecciosas de seus bebês, desde otites até gastroenterites. E aos 2 anos, os pesquisadores mediram a força óssea das crianças.

De acordo com os resultados, publicados nesta terça-feira (29) na revista JAMA Pediatrics, as crianças do grupo "normal" não ficaram mais doentes e seus ossos eram tão fortes quanto os que receberam a dose tripla de vitamina.

"Um suplemento diário de 400 UI de vitamina D3 parece ser suficiente para prevenir a deficiência de vitamina D em crianças com menos de dois anos de idade", concluíram os pesquisadores.

O experimento foi realizado apenas com crianças com pele branca. A pele negra produz naturalmente menos vitamina D. O resultado não deve ser generalizado para crianças com pele mais escura, que podem ter necessidades diferentes.