Ciência

Ozempic pode desenvolver rara forma de cegueira, apontam médicos dos EUA

Estudo sugere que usuários de Ozempic ou Wegovy podem estar mais propensos a perder a visão de forma repentina

Ozempic e Wegovy possuem semaglutida (NurPhoto /Getty Images)

Ozempic e Wegovy possuem semaglutida (NurPhoto /Getty Images)

Fernando Olivieri
Fernando Olivieri

Redator na Exame

Publicado em 4 de julho de 2024 às 06h41.

Última atualização em 4 de julho de 2024 às 07h58.

Médicos oftalmologistas em Boston, nos Estados Unidos, estão observando um aumento de casos de uma forma rara de cegueira súbita entre pacientes que utilizam semaglutida. Essa condição, conhecida como neuropatia óptica isquêmica anterior não arterítica (NAION, em inglês), ocorre quando o fluxo sanguíneo para o nervo óptico é interrompido, prejudicando a conexão entre o olho e o cérebro.

De acordo com a Business Insider, um novo estudo, publicado na quarta-feira, 3, no JAMA Ophthalmology, uma revista especializada em publicações de oftalmologia, indicou que pessoas tomando semaglutida apresentaram uma probabilidade ligeiramente maior de desenvolver NAION em comparação com outros pacientes com obesidade ou diabetes. A semaglutida é o ingrediente ativo de dois medicamentos da Novo Nordisk: Ozempic, para diabetes tipo 2, e Wegovy, para obesidade.

Novo Nordisk, fabricante da semaglutida, afirmou que a segurança dos pacientes é uma prioridade máxima e que todas as notificações de eventos adversos relacionados ao uso de seus medicamentos são levadas muito a sério. No entanto, a empresa expressou preocupações quanto à forma como o estudo foi conduzido, argumentando que houve poucos casos no ensaio para se tirar conclusões significativas e que este tipo de estudo retrospectivo não poderia responder às perguntas sobre um vínculo causal entre a semaglutida e a NAION.

Pacientes com diabetes e pressão alta sempre estiveram em risco aumentado de desenvolver problemas de visão. Por exemplo, níveis cronicamente altos de açúcar no sangue podem distorcer as lentes dos olhos, contribuindo para visão embaçada. A NAION geralmente é permanente e não há tratamento disponível para a condição.

Açúcar no sangue pode afetar visão

Problemas de açúcar no sangue podem afetar significativamente a visão. Pacientes com diabetes, especialmente aqueles com níveis descontrolados de glicose, têm maior risco de complicações oculares, como a retinopatia diabética. Nesse contexto, a preocupação com a NAION se torna ainda mais relevante. A neuropatia óptica isquêmica anterior não arterítica, embora rara, representa uma ameaça séria, pois não há tratamento conhecido e a perda de visão é geralmente permanente.

Com a popularidade crescente de medicamentos como Ozempic e Wegovy para gerenciamento de diabetes e obesidade, a comunidade médica está em alerta para possíveis efeitos adversos. A recente publicação no JAMA Ophthalmology destaca a necessidade de monitoramento contínuo e mais estudos para entender completamente os riscos associados a esses tratamentos.

O que é a semaglutida

A semaglutida é um medicamento utilizado no tratamento do diabetes tipo 2 e da obesidade, comercializado sob os nomes Ozempic e Wegovy pela farmacêutica Novo Nordisk. Este fármaco é um análogo do GLP-1, um hormônio que atua no controle dos níveis de açúcar no sangue. De acordo com a ANVISA, a semaglutida age estimulando a liberação de insulina e reduzindo a produção de glucagon pelo fígado, o que ajuda a manter a glicose em níveis adequados. Além disso, o medicamento retarda o esvaziamento gástrico, promovendo uma sensação de saciedade, o que auxilia na perda de peso.

Para pacientes com diabetes tipo 2, a semaglutida pode ser uma ferramenta eficaz na gestão da doença, ajudando a prevenir complicações como doenças cardiovasculares e problemas renais. No tratamento da obesidade, o Wegovy tem se mostrado promissor, oferecendo uma nova opção para aqueles que lutam contra o excesso de peso e suas consequências associadas.

Acompanhe tudo sobre:OzempicRemédiosEstados Unidos (EUA)

Mais de Ciência

Flora intestinal distinta pode servir para o diagnóstico do Autismo, aponta estudo

Estudo sugere que expectativa de vida humana pode ter alcançado limite

Ozempic reduz risco de demência em pacientes diabéticos, revela estudo

O que causa a enxaqueca? Estudo revela nova pista sobre origem da doença

Mais na Exame