Novo exame genético pode ajudar em tratamentos psiquiátricos e cardiológicos

Com exclusividade à EXAME, GnTech antecipou como seu novo teste genético pode ajudar médicos a determinar melhor tratamento para os pacientes
Saúde mental: teste genético pode auxiliar médicos a definir tratamento ideal (Andriy Onufriyenko/Getty Images)
Saúde mental: teste genético pode auxiliar médicos a definir tratamento ideal (Andriy Onufriyenko/Getty Images)
T
Tamires Vitorio

Publicado em 03/02/2021 às 15:39.

Última atualização em 04/02/2021 às 10:11.

Um novo teste genético produzido pelo laboratório GnTech consegue identificar a quantidade do ácido fólico no corpo humano — também conhecido como vitamina B9. O ácido, importante durante a gestação, também pode ter um papel essencial no tratamento psiquiátrico e cardiológico.

Segundo a GnTech, o ácido fólico tem diferentes importâncias para cada uma das áreas médicas e identificá-los no corpo humano pode ajudar os médicos na hora de definir qual deve ser o melhor tratamento para o paciente.

A enzima MTHFR, que ajuda o ácido fólico em sua metabolização para a molécula L-Metilfolato, pode atuar na psiquiatria na regulação da produção de serotonina, dopamina e noradrenalina, que impactam diretamente em quadros de ansiedade e depressão e podem gerar certa resistência a antidepressivos.

Na cardiologia, ao analisar polimorfismos no gene MTHFR, o médico pode identificar potenciais fatores de risco para doenças cardiovasculares.

Os benefícios de medir a quantidade de ácido fólico no organismo, no entanto, são maiores para mulheres grávidas. De acordo com a GnTech, "é possível identificar possíveis condições de risco à gestação [perdas recorrentes]" e também prever as complicações que uma pessoa pode ter durante a gestão.

Com exclusividade à EXAME, a companhia afirma que o resultado do teste sai em sete dias úteis e custa 467 reais à vista ou 550 reais parcelados.