• AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
  • AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
Abra sua conta no BTG

Melhor matemático do Brasil explica como atingiu o sucesso

Artur Avila comenta sobre o esteriótipo da genialidade e o papel da sorte no sucesso, e fala sobre a perspectiva de carreira para pesquisador no Brasil
Artur Avila: vencedor do maior prêmio mundial de matemática (Reprodução)
Artur Avila: vencedor do maior prêmio mundial de matemática (Reprodução)
Por Rafael CarvalhoPublicado em 01/09/2016 19:00 | Última atualização em 01/09/2016 19:00Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Artur Avila se tornou conhecido entre pesquisadores por sua capacidade de resolver operações matemáticas de grande complexidade, o que lhe valeu a Medalha Fields, o Nobel da Matemática, a primeira para a América Latina e maior prêmio já conquistado por um cientista brasileiro. Considerado prodígio desde o ensino fundamental, ele teve uma carreira meteórica. Ganhou sua primeira medalha de ouro aos 16 anos, na Olimpíada Internacional de Matemática. Um ano depois entrou e concluiu o mestrado no Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa).

Ao mesmo tempo que obtinha o diploma de graduação na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), defendeu o doutorado, em 2001, quando pode validar os diplomas de pós-graduação. Tornou-se o profissional mais novo a assumir a direção de pesquisa no conceituado Centro Nacional de Pesquisas Científicas de Paris, aos 29 anos. O foco de seu trabalho é uma área da matemática conhecida como sistemas dinâmicos. Mais especificamente, ele usa equações para compreender sistemas quânticos.

Ao remontar a trajetória que o levou a ser considerado um dos maiores matemáticos do mundo, ele não tenta contar uma história linear. Muito do que deu certo, ele admite, não veio a partir de decisões muito conscientes ou embasadas. No cenário ideal, claro, teriam sido fruto de planejamento… Mas nem sempre funciona assim. No fundo, a questão principal é estar pronto. Você tem que ter se colocado em uma posição de aproveitar as oportunidades, estar preparado quando elas aparecerem, conta.

Na entrevista a seguir, ele fala sobre o esteriótipo da genialidade e o papel da sorte no sucesso, e dá sua opinião sobre a perspectiva de carreira para um pesquisador no Brasil. Confira:

1. Qual o papel da genialidade, do esforço e da sorte no sucesso?

2. Como você explica o seu sucesso?


3. Como você decidiu ser pesquisador e qual sua visão dessa carreira no Brasil?

* Este artigo foi originalmente publicado pelo Na Prática, portal da Fundação Estudar