China planeja missão ao 'estilo Armagedom' para desviar asteroide

A ideia é enviar foguetes para um corpo celeste e alterar a rota para longe da órbita da Terra
Cientistas chineses afirmam que "os impactos de asteroides representam uma grande ameaça para toda a vida na Terra" (Science Photo Library - ANDRZEJ WOJCICKI/Getty Images)
Cientistas chineses afirmam que "os impactos de asteroides representam uma grande ameaça para toda a vida na Terra" (Science Photo Library - ANDRZEJ WOJCICKI/Getty Images)
A
André Lopes

Publicado em 09/07/2021 às 08:21.

Última atualização em 09/07/2021 às 08:26.

Parece filme de ficção científica: lançar um foguete rumo a um asteroide com o objetivo de desviá-lo para longe da Terra. Um plano bastante inspirado no filme Armagedon (1998), estrelado por Bruce Willis, mas é a ideia de pesquisadores chineses que traçaram um plano de enviar 23 dos maiores foguetes da China em direção a um corpo celeste que pode realmente entrar de colisão com a Terra.

Segundo especialistas do Centro Nacional de Ciências Espaciais daquele país, uma simulação aponta que enviar foguetes simultaneamente para um grande asteroide poderia desviá-lo de seu caminho original a uma distância de 1,4 vezes o raio da Terra.

  • Entenda como o avanço da vacinação afeta seus investimentos. Assine a EXAME.

O inusitado plano foi avaliado com dados coletados da tragetória de um asteroide chamado Bennu, que orbita o Sol e é tão largo quanto o arranha-céus Empire State Building, em Nova York, que tem 381 metros de altura e está entre os 50 maiores edifícios do mundo. O Bennu pertence a uma classe de rochas com potencial para causar danos regionais ou continentais — estima-se que asteroides medindo mais de 1 km poderiam gerar consequências globais.

Foi com ele que os pesquisadores poderam afirmar que "os impactos de asteroides representam uma grande ameaça para toda a vida na Terra" e que a estratégia de lançar algo contra eles é a abordagem mais possível, porém com efeito limitado.

Os foguetes Longa Marcha 5 citados no estudo são a chave para as ambições espaciais de curto prazo da China. Eles são usados para diferentes finalidades: desde carregar módulos de estações espaciais até lançar sondas à Lua e a Marte.

Ainda que estimativas apontem que há quase 1% de chance de um asteroide de 100 metros de largura atingir a Terra nos próximos 100 anos, é bom ter um plano como esse na manga.