Alemã CureVac processa concorrente BioNTech por tecnologia de RNA mensageiro

A empresa alega que as vacinas da BioNTech e Pfizer para o coronavírus só existem por conta de sua pesquisa de mais de 22 anos sobre RNA
CureVac: a empresa é especializada em tratamentos com RNA (THOMAS KIENZLE/Getty Images)
CureVac: a empresa é especializada em tratamentos com RNA (THOMAS KIENZLE/Getty Images)
A
AFPPublicado em 06/07/2022 às 11:40.

O laboratório alemão CureVac anunciou nesta terça-feira, 5, que processou seu concorrente BioNTech — que junto com a farmacêutica Pfizer criou uma das principais vacinas contra a covid — por violação à propriedade intelectual no uso da tecnologia de RNA mensageiro.

A CureVac indicou que apresentou a ação ao tribunal regional de Düsseldorf "contra a BioNTech e suas duas filiais, pedindo uma indenização justa pela violação de seus direitos de propriedade intelectual", segundo uma nota da empresa.

A empresa de biotecnologia, reconhecida por suas pesquisas sobre medicamentos utilizando o ácido ribonucleico mensageiro, quer fazer valer seus direitos decorrentes "de duas décadas de trabalho pioneiro na tecnologia de RNA que contribuíram para o rápido desenvolvimento das vacinas contra a covid".

Em um momento de aumento dos casos de covid em vários países, a CureVac garantiu que não quer "que suas ações na justiça possam colocar obstáculos à produção, venda ou distribuição" de vacinas da BioNTech e de seu parceiro. 

No entanto, a empresa estima que seus "22 anos" de trabalho na tecnologia de RNA, que permitiram o "rápido desenvolvimento" de vacinas contra o novo coronavírus, merecem uma "remuneração justa" não especificada pelo laboratório.

Veja também: 

Mais de 5 mil casos de varíola dos macacos são confirmados no mundo, anuncia OMS

Brasil tem média de 214 mortes causadas pela covid-19 por dia