Quais porta-trecos dos carros de longa duração valem a pena

Espaço para bagagem e múltiplos porta-objetos: os carros de Longa Duração mostram seus pontos fortes e fracos na hora de levar a bordo os pertences do motorista

Eles estão lá para melhorar a qualidade de vida a bordo do carro. Porta-objetos e soluções para facilitar o transporte de tudo o que o motorista e sua família acham indispensável, seja no dia a dia, seja na viagem de férias.

E não importa a quantidade ou tamanho da tralha: de mochilas e malas ao computador portátil e lanche comprado em drive-thru, tudo tem que ter seu cantinho dentro da cabine.

Veja, a seguir, como HR-V, Ka, Renegade e Audi A3 (os carros da atual frota de Longa Duração) se saem na hora de agradar a quem faz questão de andar sempre na companhia de seus objetos favoritos.

Atrás, é possível rebater tanto os assentos quanto os encostos (Marco de Bari/ Quatro Rodas)

Honda HR-V

A Honda poderia fazer um intercâmbio com a Jeep. Ela aprenderia a produzir um interior com materiais e acabamentos tão bons quanto os do Renegade e ensinaria a criar uma cabine modular, versátil e amigável como a do HR-V.

Televisão, máquina de lavar, cadeira, bicicleta... É difícil achar o que não caiba no Honda.

O sistema de rebatimento do banco traseiro do HR-V (que permite uma série de configurações tanto para os assentos quanto para os encostos) é aquele tipo de facilidade que você raramente utiliza, mas quando usa, vira fã.

Porta-objetos embaixo do console central dificulta o acesso às conexões USB e auxiliar (Marco de Bari/ Quatro Rodas)

Só não dá para entender o que a marca imaginou ao projetar um console central com porta-objetos de acesso tão difícil. Ele fica abaixo do nível da alavanca de câmbio, e abriga as entradas USB e auxiliar do sistema de som.

Aqui na QUATRO RODAS, não foram poucos os que gastaram intermináveis minutos - principalmente de noite, pois o local não é iluminado - procurando pela conexão para o iPod ou o celular.

Ka é cheio de porta-trecos (Marco de Bari/ Quatro Rodas)

Ford Ka

O Ka possui uma fartura de lugares para guardar coisas pela cabine - na foto acima, dá para identificar nada menos que seis porta-copos.

Porém, o risco de transformá-lo em um chocalho sobre rodas é grande: há porta-objetos até em pontos nada convencionais. Duvida? Que tal os que ficam nas extremidades do banco traseiro, junto ao assento?

O formato impede a colocação de copos ou latas e eles acabam virando, na prática, um porta-moedas. Os do Ka de Longa são assim, uns cofrinhos sempre com um trocadinho esquecido – e barulhento.

O mais inusitado é o que vai na lateral do painel (Marco de Bari/ Quatro Rodas)

Apesar disso, esses porta-trecos são nada no quesito esquisitice quando comparados ao nicho criado na lateral do painel, só acessível com a porta do motorista aberta!

Jeep Renegade


Porta-malas tem dimensões pequenas e pouca profundidade (Marco de Bari/ Quatro Rodas)

Apesar da ótima qualidade geral do acabamento, o nosso Jeep é uma grande decepção na hora de viajar: seu porta-malas tem volume útil de apenas 260 litros - oficialmente, é menos do que os 285 litros do porta-malas de um Up!.

Outro problema do compartimento de bagagem é o formato: raso, impede a acomodação de objetos mais altos.

Carrinho de bebê? Mesmo os do tipo guarda-chuva, mais compactos, cabem apertados – e na transversal. Sob o assoalho, porém, há uma prática (mas frágil) bandeja compartimentada de isopor.

Assento do passageiro esconde um porta-objetos (Marco de Bari/ Quatro Rodas)

Na cabine, destaque positivo para os tapetinhos de borracha no fundo dos porta-objetos e para o prático espaço sob o assento do banco do passageiro.

Audi A3 Sedan


Sistema de som ocupa boa parte do porta-luvas, que já é pequeno (Marco de Bari/ Quatro Rodas)

No já pequeno porta-luvas do A3 viaja a central multimídia, um aparelho volumoso de leitura de CD e cartão de memória SD.

Considerando que o porta-luvas é uma espécie de vaga reservada onde os manuais do carro estão sempre estacionados, sobra pouco espaço até para uma carteira.

Sobre o obsoleto equipamento que a Audi instalou ali, um recado unânime da equipe de QUATRO RODAS: “Trocaríamos entradas para CDs, cartões de memória e auxiliar por uma simples porta USB (inexistente no A3), pois Bluetooth resolve a questão de conectividade, mas não carrega a bateria dos celulares”.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.